Dimorfismo sexual na “cobra-cipó” Oxybelis aeneus (Serpentes, Colubridae) no estado do Ceará, Brasil

Autores

  • Paulo Cesar Mattos Dourado de Mesquita Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p65

Palavras-chave:

Arborícola, Dimorfismo sexual, Morfologia, Serpentes

Resumo

Diferentes pressões determinam o sucesso reprodutivo de machos e fêmeas e por esta razão espera-se encontrar diferenças morfológicas entre os sexos de qualquer espécie. Oxybelis aeneus é uma serpente arborícola, longa e delgada, amplamente distribuída dos Estados Unidos ao sudoeste do Brasil. A análise de 102 indivíduos forneceu informações sobre dimorfismo sexual nesta espécie. Fêmeas são maiores que machos em relação ao tamanho corpóreo (CRC e massa), mas não foi observado dimorfismo em relação ao comprimento relativo caudal e tamanho da cabeça de machos e fêmeas.

Biografia do Autor

Paulo Cesar Mattos Dourado de Mesquita, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Ceará (2006) e mestrado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal do Ceará (2010). Atualmente é Doutorando em Biodivesidade Animal na Universidade Federal de Santa Maria e colaborador do NUROF da Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Zoologia, atuando principalmente nos seguintes temas: serpentes, ofiofauna, ecologia, comunidade, história natural.

Downloads

Publicado

2010-01-01

Edição

Seção

Artigos