Dimorfismo sexual na “cobra-cipó” Oxybelis aeneus (Serpentes, Colubridae) no estado do Ceará, Brasil

Paulo Cesar Mattos Dourado de Mesquita

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p65

Diferentes pressões determinam o sucesso reprodutivo de machos e fêmeas e por esta razão espera-se encontrar diferenças morfológicas entre os sexos de qualquer espécie. Oxybelis aeneus é uma serpente arborícola, longa e delgada, amplamente distribuída dos Estados Unidos ao sudoeste do Brasil. A análise de 102 indivíduos forneceu informações sobre dimorfismo sexual nesta espécie. Fêmeas são maiores que machos em relação ao tamanho corpóreo (CRC e massa), mas não foi observado dimorfismo em relação ao comprimento relativo caudal e tamanho da cabeça de machos e fêmeas.


Palavras-chave


Arborícola; Dimorfismo sexual; Morfologia; Serpentes

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p65

Direitos autorais 2010 Paulo Cesar Mattos Dourado de Mesquita

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.