Distribuição e densidade do bivalve Anomalocardia brasiliana em praias do Rio Grande do Norte durante um período de pluviosidade atípica

Talita Pinheiro Belém, Rodrigo Sávio Teixeira Moura, Gustavo Gonzaga Henry-Silva

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo avaliar a distribuição e a densidade de Anomalocardia brasiliana em 22 km de praias da região oeste do Rio Grande do Norte durante e após períodos de pluviosidade atípica relacionada com o fenômeno La Niña. Foram realizadas quatro coletas semestrais entre os meses de Abril/2009 e Outubro/2010, sendo realizados transcectos perpendiculares à linha da praia, ao longo de um gradiente espacial de distanciamento do estuário, visando coletar organismos, sedimento e dados sobre a temperatura e salinidade da água. Não foram constatadas diferenças significativas na densidade de A. brasiliana entre as diferentes épocas do ano, sendo que as densidades médias foram 218 ind./m² em Abril/2009, 198 ind./m² em Outubro/2009, 233 ind./m² em Abril/2010 e 200 ind./m² em Outubro/2010. Anomalocardia brasiliana apresentou um padrão de distribuição bem definido, com sua ocorrência restrita principalmente à região estuarina do rio Apodi/Mossoró onde os teores de matéria orgânica do sedimento foram mais elevados. Pôde-se constatar que esta espécie apresentou reduzida resiliência, uma vez que não conseguiu retornar a sua densidade anterior a Março/2008, ou seja, antes das chuvas intensas ocasionadas pelo fenômeno La Niña.

 


Palavras-chave


Distribuição espacial; Estuário; La Niña; Matéria orgânica; Molusco

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n1p109

Direitos autorais 2013 Talita Pinheiro Belém, Rodrigo Sávio Teixeira Moura, Gustavo Gonzaga Henry-Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.