Adubação orgânica em tomateiros do grupo cereja

Janini Tatiane Lima Souza Maia, Junia Maria Clemente, Nayara Hanine de Souza, Juliana de Oliveira Silva, Hermínia Emília Prieto Martinez

Resumo


O tomate cereja (Solanum lycopersicum) é altamente exigente em relação aos nutrientes minerais. O uso do esterco animal mostra-se uma forma eficiente e sustentável de adubação para essa cultura. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de diferentes doses de esterco bovino no crescimento vegetativo e reprodutivo do tomate cereja. O experimento foi conduzido em casa de vegetação do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa, sendo utilizando delineamento experimental inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e quatro repetições, além de um tratamento controle utilizando fertilizante químico como fonte de NPK. Após 45 dias do início do experimento foram avaliados o número de folhas, de flores e de frutos, a massa seca de folhas, caule, flores, frutos e raízes, o comprimento do caule e o volume radicular. Foi avaliado, também, o teor de nutrientes em folhas, caule e raízes. As plantas cultivadas com fertilizante químico obtiveram menor média em todas as variáveis fitotécnicas analisadas. O número de folhas e frutos e a produção de matéria seca de folhas, frutos e caule apresentaram resposta linear crescente com o aumento das doses de esterco. Os teores foliares de Ca, Mg e S foram maiores no tratamento com adubação química.




Palavras-chave


Crescimento; Produção de frutos; Solanum lycopersicum

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n1p37

Direitos autorais 2013 Janini Tatiane Lima Souza Maia, Junia Maria Clemente, Nayara Hanine de Souza, Juliana de Oliveira Silva, Hermínia Emília Prieto Martinez

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.