Relação entre variáveis ambientais e a estrutura da comunidade de peixes em córregos das bacias do Rio das Mortes e do rio Xingu – MT, Brasil

Autores

  • Priscylla Rodrigues Matos Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT - Laboratório de Ictiologia e Limnologia.
  • Carolina Mancini do Carmo Programa de pós graduação em ciencias ambientais-Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT
  • Cesar Enrique de Melo Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT - Laboratório de Ictiologia e Limnologia.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2013v26n3p139

Palavras-chave:

Amazônia, Cerrado, Riacho

Resumo

As variáveis ambientais podem determinar e estruturar a composição da fauna de peixes. Estudos que comparem diferenças entre variáveis físicas e químicas da água entre bacias hidrográficas próximas são escassos. Este artigo teve por objetivo verificar quais variáveis limnológicas estão relacionadas à distribuição das espécies de peixes em duas bacias hidrográficas. Para tanto, foram amostrados 20 córregos, divididos entre as bacias do Rio das Mortes e do rio Xingu. Em cada ponto foram medidos um total de 8 variáveis ambientais. Os peixes foram coletados com rede de arrasto. A riqueza total foi de 57 espécies, sendo 29 da bacia do rio Xingu, 35 do Rio das Mortes e 7 espécies comuns a ambas as bacias. As análises demonstraram que os córregos dessas duas bacias têm características limnológicas e fauna distintas. Os córregos da bacia do rio Xingu tiveram menores valores de pH que podem ter sido influenciados pelas elevadas taxas de decomposição orgânica. Os córregos do Rio das Mortes apresentaram valores mais elevados de matéria em suspensão e clorofila, provavelmente ocasionadas pela maior degradação dos córregos e menores níveis de cobertura vegetal.



Downloads

Publicado

2013-06-20

Edição

Seção

Artigos