Histologia da glândula parotoide de anuros da espécie Rhinella schneideri (Amphibia: Bufonidae)

Autores

  • Juliana Costa Sousa Curso de Medicina Veterinária UFPI - Universidade Federal do Piaui - Campus "Professora Cinobelina Elvas", bom Jesus,Piaui, Brasil
  • Regina Lucia dos Santos Silva Curso de Medicina Veterinária UFPI - Universidade Federal do Piaui - Campus "Professora Cinobelina Elvas", bom Jesus,Piaui, Brasil
  • Richard Átila de Sousa Curso de Medicina Veterinária UFPI - Universidade Federal do Piaui - Campus "Professora Cinobelina Elvas", bom Jesus,Piaui, Brasil
  • Mauro Sergio Cruz Souza Lima Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Universidade Federal do Piauí. Campus “Amílcar Ferreira Sobral”
  • Guilherme José Bolzani de Campos Ferreira Curso de Medicina Veterinária UFPI - Universidade Federal do Piaui - Campus "Professora Cinobelina Elvas", bom Jesus,Piaui, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n2p111

Palavras-chave:

Anatomia, Anfíbios, Anuros, Ducto, Macroglândulas

Resumo

O estudo histológico da glândula parotoide foi realizado utilizando 10 exemplares (machos e fêmeas) da espécie Rhinella schneideri, capturados manualmente em coletas noturnas no município de Bom Jesus, Piauí. Posteriormente, foram eutanasiados por administração de uma dose letal de anestésico Tiopental e seguidamente as glândulas parotoides foram coletadas e submetidas a processamento histológico padrão com inclusão em parafina e os blocos seccionados em micrótomo rotativo manual a espessura de 4 μm. Diante da escassez de informações sobre condições anátomo-histológica de Rhinella scheneideri, buscou-se abordar as principais características marcantes das macroglândulas encontradas na espécie, conhecimento importante para compreensão do funcionamento deste mecanismo de defesa da espécie. Histologicamente, evidenciamos a presença dos alvéolos das macroglândulas, com presença de ductos circundados com células mucosas diferenciadas, as “glândulas acessórias”, sendo também encontradas glândulas granulosas. Verificou-se ainda que cada glândula possui ductos que comunicam o corpo glandular com o meio exterior, sendo o ducto revestido internamente por células epiteliais glandulares do próprio ducto, constituindo um plug, que em Rhinella schneideri promove a obstrução total do ducto. Essas macroglândulas não apresentam diferenciação histológica quando se comparado a outras espécies da família Bufonidae.

Biografia do Autor

Guilherme José Bolzani de Campos Ferreira, Curso de Medicina Veterinária UFPI - Universidade Federal do Piaui - Campus "Professora Cinobelina Elvas", bom Jesus,Piaui, Brasil

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Faculdades Integradas da Fundação de Ensino Octávio Bastos(2002), especialização em Anatomia Comparada Humana e Animal pela Universidade de São Paulo(2006), mestrado em Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres pela Universidade de São Paulo(2005), doutorado em Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres pela Universidade de São Paulo(2007) e curso-tecnico-profissionalizantepela Escola Agrotécnica Federal de Inconfidentes(1996). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal do Piauí, Membro de corpo editorial da Comunicata Scientiae e Revisor de periódico da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Anatomia Animal. Atuando principalmente nos seguintes temas:Células Tronco, AVC, Terapia celular, Encefalo, Modelo Animal.

Downloads

Publicado

2015-02-06

Edição

Seção

Artigos