Morfologia e biometria do timo em avestruzes (Struthio camelus)

Cheston Cesar Honorato Pereira, Márcia Rita Fernandes Machado, Angelita das Graças de Oliveira Honorato, Bruno Gomes Vasconcelos, Tales Dias do Prado

Resumo


Estudou-se a anatomia do timo em 30 filhotes de avestruzes, 13 machos e 17 fêmeas com idade variando entre 10 a 20 dias, mediante fixação de cada ave em solução aquosa de formol a 10%. As cadeias de lobos tímicos localizaram-se no terço distal da região ventral do pescoço, dispondo-se de forma linear e paralela, desde a décima primeira até a décima quinta vértebra cervical, relacionando-se com o nervo vago e veia jugular. O número de lobos variou de um a três e um ou dois, para os antímeros direito e esquerdo respectivamente. A média das dimensões dos lobos foram 2,09 x 0,71 x 0,41 cm para o lobo cranial, 0,69 x 0,38 x 0,27 cm para o lobo médio e 0,55 x 0,33 x 0,29 cm para o lobo caudal do antímero direito. No antímero esquerdo, foram registrados 2,14 x 0,71 x 0,37 cm para o lobo cranial e 0,60 x 0,31 x 0,22 cm para o lobo caudal. A morfologia e biometria do timo apresentaram comportamentos bem definidos, possuindo características comuns quanto à holotopia, esqueletopia, sintopia e idiotopia, que deixaram caracterizada a espécie objeto de nosso estudo.


Palavras-chave


Anatomia; Aves; Região cervical; Sintopia

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2016v29n2p59

Direitos autorais 2016 Cheston Cesar Honorato Pereira, Márcia Rita Fernandes Machado, Angelita das Graças de Oliveira Honorato, Bruno Gomes Vasconcelos, Tales Dias do Prado

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.