Medidas para o controle da aflatoxina B1: uma breve revisão sobre o uso de flavonoides e argilas

Janaína Nones, Humberto Gracher Riella, Jader Nones

Resumo


A aflatoxina B1 (AFB1) é uma das micotoxinas mais abundantes e tóxicas produzidas por cepas toxigênicas. Esta substância afeta a viabilidade celular, sendo capaz de induzir a morte, tanto de células humanas, quanto de células animais. Medidas vêm sendo adotadas para minimizar os danos causados pela AFB1, incluindo a utilização de flavonoides (compostos polifenólicos extraídos de plantas) e bentonitas (um tipo de argila). Nesta revisão, as características físico-químicas da AFB1 e seus efeitos em diferentes tipos de células, in vitro e in vivo, foram abordados. Além disso, a capacidade de proteção celular a partir de substâncias e materiais naturais, tais como flavonoides e bentonita, foi brevemente descrita. Também relatamos os efeitos econômicos causados pelas micotoxinas e sugerimos alternativas (flavonoides e bentonita) para novas abordagens terapêuticas visando combater a toxicidade causada por estas substâncias (AFB1).


Palavras-chave


Aflatoxina B1; Argila; Flavonoides; Mecanismo de ação

Texto completo:

PDF/A (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2017v30n1p1

Direitos autorais 2017 Janaína Nones, Humberto Gracher Riella, Jader Nones

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.