Métodos de inoculação de Colletotrichum lindemuthianum em sementes de feijão e danos em plântulas

Autores

  • Patricia Migliorini Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Keilor da Rosa Dorneles Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Gustavo Fonseca Rodrigues Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Gabriele de Paula Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Lilian Vanussa Madruga de Tunes Universidade Federal de Pelotas/UFPel

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2017v30n1p37

Palavras-chave:

Antracnose, Contaminação, Desenvolvimento inicial, Feijão, Infecção

Resumo

A antracnose causada pelo fungo Colletotrichum lindemuthianum (Sacc. & Magnus) Scrib. é uma das doenças mais sérias da cultura do feijão. Técnicas de inoculação são importantes para avaliações de resistência de genótipos e de métodos de controle em fases iniciais do desenvolvimento de plântulas. Diante da necessidade de se obter plântulas infectadas, o presente trabalho teve por objetivo testar diferentes métodos de inoculação de C. lindemuthianum em sementes de feijão e verificar o impacto na emergência e no desenvolvimento inicial das plântulas. Foram utilizadas sementes da cv. BRS Expedito, as quais foram inoculadas pelos métodos de suspensão de esporos, de contato com o patógeno em meio com restrição hídrica e de inoculação com discos de BDA contendo micélio e esporos do fungo no substrato. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com oito repetições. Foram feitas avaliações de emergência, comprimento de parte aérea, massa seca de parte aérea e a incidência de sintomas da doença em folha e no hipocótilo. Os métodos de inoculação utilizados foram eficientes para causar infecção do patógeno em plântulas de feijão, sem afetar a emergência, destacando o método de contato com o patógeno em meio com restrição hídrica como o mais eficaz.

Biografia do Autor

Patricia Migliorini, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência & Tenologia de Sementes, Universidade Federal de Pelota, 96010-610, Pelotas-RS, Brasil

Keilor da Rosa Dorneles, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Fitossanidade, Universidade Federal de Pelota, 96010-610, Pelotas-RS, Brasil

Gustavo Fonseca Rodrigues, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Graduando em Agronomia da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas

Gabriele de Paula, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Graduanda em Agronomia da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas

Lilian Vanussa Madruga de Tunes, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Professora Doutora Eng. Agrônoma, do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes da Universidade Federal de Pelotas

Referências

ARAÚJO, D. V.; POZZA, E. A.; MACHADO, J. C.; ZAMBENEDETTI, E. B.; CELANO, F. A. O.; CARVALHO, E. M.; CAMARGOS, V. N. Influência da temperatura e do tempo de inoculação das sementes de algodão na transmissibilidade de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v. 31, n. 1, p. 35-40, 2006.

BARROCAS, E. N.; MACHADO, J. C.; ALVES, M. C.; CORRÊA, C. L. Desempenho de sementes de algodão submetidas à deficiência hídrica e presença de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides. Bioscience Journal, Uberlandia, v. 30, n. 2, p. 421-428, 2014.

BIANCHINI, A.; MARINGONI, A. C.; CARNEIRO, S. M. P. G. Doenças do feijoeiro (Phaseoluls vulgaris L.). In: KIMATI, H.; AMORIM, L.; REZENDE, J. A. M.; BERGAMIN FILHO, A.; CAMARGO, L. E. A. (Ed.). Manual de Fitopatologia. Vol. 2. 4 ed. São Paulo: Editora Ceres, 2005. p. 333-349.

BOTELHO, L. S.; ZANCAN, W. L. A.; MACHADO, J. C.; BARROCAS, E. N. Performance of common bean seeds infected by the fungus Sclerotinia sclerotiorum. Journal of Seed Science, Londrina, v. 35, n. 2, p. 153-160, 2013.

CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. Vol. 3 – Safra 2015/16, n. 7 – Sétimo levantamento Levantamento, abril 2016. Disponível em <http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/16_04_07_09_04_20_boletim_graos_abril__2016_-_final.pdf>. Acesso em: 06 abril 2016.

CORREA, B. O.; MOURA, A. B.; DENARDIN, N. D.; SOARES, V. N.; SCHÄFER, J. T.; LUDWIG, J. Influência da microbiolização de sementes de feijão sobre a transmissão de Colletrichum Lindemuthianum (Saac e Magn). Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 30, n. 2, p. 156-163, 2008.

COSTA, M. L. N.; MACHADO, J. C.; GUIMARÃES, R. M.; POZZA, E. A.; ORIDE, D. Inoculação de Fusarium oxysporum f. sp. phaseoli em sementes de feijoeiro através de restrição hídrica. Ciência Agrotecnologia, Lavras, v. 27, n. 5, p. 1023-1030, 2003.

FALCÃO, J. V.; ORILI, F. P.; ÁVILA, Z. R. de; MELLO, S. C. M. de. Estabelecimento de metodologia para contaminação de solo com propágulos dos fungos Sclerotinia sclerotiorum e Sclerotium rolfsii, e expressão de doença em soja. Comunicado Técnico. Brasília, 2005. Disponível em <http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CENARGEN/27926/1/cot135.pdf>. Acesso em: 06 abril 2016.

FERREIRA, D. F. Programa SISVAR. exe: Sistema de análise de variância. Versão 5.0. Lavras: UFLA, 2007.

GALLI, J. A.; PANIZZI, C. de.; VIEIRA, R. D. Resistência de variedades de soja à morte de plântulas causada por Colletotrichum truncatum. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 74, n. 2, p. 163-165, 2007.

GARCIA, R. A.; JULIATTI, F. C. Avaliação da resistência da soja a Sclerotinia sclerotiorum em diferentes estádios fenológicos e períodos de exposição ao inóculo. Tropical Plant Pathology, Brasília, v. 37, n. 3, p. 196-203, 2012.

JUNGES, E.; MUNIZ, M. F. B.; BASTOS, B. O.; ORUOSKI, P. Biopriming in bean seeds. Acta Agriculturae Scandinavica, Section B — Soil & Plant Science, Copenhagen v. 66, p. 207-214, 2015.

MATHUR, R. S.; BARNETT, H. L.; LILLY, V. G. Sporulation of Colletotrichum lindemuthianum in culture. Phytopathology, East Lansing, v. 40, n. 1, p. 104-114, 1950.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: VIEIRA, R.D.; CARVALHO, N. M. (Ed.). Testes de vigor em sementes. Jaboticabal: FUNEP, 1994. 164 p.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p. 2-21.

PEDROSO, D. C.; MENEZES, V. O.; MUNIZ, M. F. B.; PIVETA, G., TUNES, L. V. M. de.; MULLER, J.; MENEZES, N. L. de. Métodos de inoculação de Alternaria alternata e A. dauci em sementes de salsa e sua influência na qualidade fisiológica. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 3, p. 79-85, 2010.

REIS, G. F.; BACCHI, L. M. A.; GAVASSONI, W. L.; HIRATA, L. M.; PONTIM, B. C. A. Viabilidade de armazenamento de sementes de soja inoculadas com Sclerotinia sclerotiorum em meio com restrição hídrica. Summa Phytopathologica, Botucatu, v. 40, n. 2, p. 168-173, 2014.

REY, M. S.; LIMA, N. B.; SANTOS, J. dos.; PIEROBOM, C. R. Transmissão semente-plântula de Colletotrichum Lindemuthinum em feijão (Phaseolus vulgaris). Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 76, n. 3, p. 465-470, 2009.

SOUSA, M. V.; MACHADO, J. C.; PFENNING, L. H.; KAWASAKI, V. H.; ARAÚJO, D. V.; SILVA, A. A.; MARTINI NETO, A. Métodos de inoculação e efeitos de Fusarium oxysporum f. sp. vasinfectum em sementes de algodoeiro. Tropical Plant Pathology, Brasília, v. 33, n. 1, p. 41-48, 2008.

TANAKA, M. A. S.; MACHADO, J. C. Patologia de sementes. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 11, n. 122, p. 40-46, 1985.

VENTUROSO, L. R.; BACCHI, L. M. A; GAVASSONI, W. L; VENTUROSO, L. A. C.; PONTIM, B. C. A; REIS, G. F. Inoculação de Sclerotinia sclerotiorum em sementes de oleaginosas: transmissão e seus efeitos sobre a emergência de plantas. Ciência Rural, Santa Maria, v. 45, n. 5, p. 788-793, 2015.

Downloads

Publicado

2017-02-21

Edição

Seção

Artigos