Anatomia óssea e muscular do antebraço e mão de Tapirus terrestris (Perissodactyla, Tapiridae)

Autores

  • Saulo Gonçalves Pereira Universidade Federal de Uberlândia
  • Andre Luiz Quagliatto Santos UFU
  • Daniela Cristina Silva Borges UFU
  • Priscilla Rosa Queiroz Ribeiro UFU
  • Rogério Rodrigues de Souza UFU

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2017v30n2p35

Palavras-chave:

Anta, Morfologia, Músculos, Osteologia

Resumo

Existem duas espécies de anta brasileira, os maiores mamíferos terrestres do Brasil, as quais pertencem à ordem dos Perissodactyla, assim como os equinos. Objetivou-se descrever a anatomia óssea e muscular do antebraço e mão de Tapirus terrestris e fazer considerações adaptativas. Foram utilizadas cinco peças anatômicas doadas por um criadouro ao Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres da Universidade Federal de Uberlândia (LAPAS-UFU), após óbito sem traumas. Os ossos foram analisados, os músculos dissecados, e ambos descritos. Os ossos que constituem o esqueleto do antebraço e mão da anta são a ulna, rádio, metacarpos, carpos, falanges e sesamoides. Os músculos são: M. extensor carpo radial, M. ulnar lateral, M. flexor carpo radial, M. extensor radial comum, M. extensor longo dos dedos II, III, IV e V, M. extensor digital lateral, M. abdutor longo, M. flexor digital superficial, M. flexor digital profundo, M. flexor carpo ulnar, M. flexor oblíquo do carpo, M. interósseos e M. lumbricais. Os acidentes ósseos e a estrutura muscular estão adaptados para o desenvolvimento do nicho do animal.

 

Biografia do Autor

Saulo Gonçalves Pereira, Universidade Federal de Uberlândia

É graduado em Ciências Biológicas Bacharel/Licenciatura - Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM - UEMG), Mestre em Ciências Veterinárias na área de concentração - Saúde Animal (UFU) e atualmente cursa o Doutorado em Ciências Veterinárias na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), na linha de pesquisa Saúde Animal - Morfologia de Animais Silvestres. Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior pela (FPM), especialista em Gestão Ambiental (CRBio 04). É Consultor Ambiental, Professor Universitário (graduação e pós-graduação) e educação básica. Tem experiência na área de Morfologia e Ecologia (ênfase em Tapirídeos (antas) e Lobo-guará), Gestão Ambiental, além de experiência na área da Educação e Docência..

Andre Luiz Quagliatto Santos, UFU

Graduado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Uberlândia (1983). Possui mestrado em Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres pela Universidade de São Paulo (1990) e doutorado em Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres pela Universidade de São Paulo (1992). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Uberlândia. Coordenador Técnico do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres (LAPAS) da UFU. Responsável pelo atendimento clínico a Animais Selvagens no Hospital Veterinário da UFU. Tem experiência na área de Morfologia, com ênfase em Anatomia Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: animais silvestres, anatomia, ontogenia óssea, contenção famacológica, répteis.

Daniela Cristina Silva Borges, UFU


Graduada em Ciências Biológicas Bacharel/Licenciatura, pelo Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM) . Pós-graduada em Didática e Docência do ensino Superior pela Faculdade Patos de Minas(2009). Mestra em Ciências Veterinárias na área de concentração - Saúde Animal pela Universidade Federal de Uberlândia (2013) e atualmente cursa o doutorado em Ciências Veterinárias na linha de pesquisa Saúde Animal ( Morfologia de Animais Silvestres) pela Universidade Federal de Uberlândia (2014). Professora e coordenadora do curso de Ciências Biológicas da Faculdade Cidade de João Pinheiro e professora do curso de Ciências Biológicas da Faculdade Patos de Minas. Tem experiência na área de Zoologia, Morfologia e Evolução.

Priscilla Rosa Queiroz Ribeiro, UFU


Possui graduação em Educação Física/Licenciatura (2009), Educação Física/Bacharelado (2010) e pós-graduação em Musculação e Personal Trainer (2011) pelo Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM. Mestre em Ciências Veterinárias, na área de concentração de Saúde Animal, linha de pesquisa em Morfologia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Doutorado, em andamento, em Ciências Veterinárias, na área de concentração de Saúde Animal, linha de pesquisa em Morfologia pela UFU. Atualmente é docente nos cursos de Educação Física, Enfermagem, Ciências Biológicas e Farmácia do Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM).

Rogério Rodrigues de Souza, UFU

Professor da faculdade Patos de Minas(FPM), possui graduação em Farmácia Bioquímica (2010) pelo Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM. Mestre em Ciências Veterinárias, na área de concentração de Saúde Animal, linha de pesquisa em Morfologia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Trabalha com pesquisa na área de Farmácia, Saúde Pública e Ciências morfológicas.

Referências

BARBIERI, G.; MAZZER, N.; MORO, C. A.; MONTE-RASO, V. V.; OKUBO, R.; BARBIERI, C. H. Desenvolvimento e desempenho de um fixador flexível na consolidação de fraturas diafisárias transversais provocadas iatrogênicamente na tíbia de carneiros. Ciência Rural, Santa Maria, v. 41, n. 6, p. 1036-1042, 2011.

BROOKS, D. M.; BODMER, R. E.; MATOLA, S. Tapirs – Status survey and conservation action plan. IUCN/SSC Tapir Specialist Group. Gland and Cambridge: IUCN, 1997. 164 p.

CAMPBELL, B. Comparative myology of the forelimb of the hippopotamus, pig and tapir. The American Journal of Anatomy, New York, v. 59, n. 2, p. 201-247, 1936.

COZZUOL, M. A.; CLOZATO, C. L.; HOLANDA, E. C.; RODRIGUES, F. H. G.; NIENOW, S.; THOISY. B.; REDONDO, R. A. F.; SANTOS, F. R. A new species of tapir from the Amazon. Journal of Mammalogy, Lawrence, v. 94, n. 6, p. 1331-1345, 2013.

DYCE, K. M.; SACK, W. O.; WENSING, C. J. G. Tratado de anatomia veterinária. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. 834 p.

EISENBERG, J. F.; REDEFORD, K. H. Mammals of the Neotropical – The central neotropics: Ecuador, Peru, Bolívia, Brazil. Vol. 3. Chicago: The University of Chicago Press, 1999. 609 p.

FRAGOSO, J. M. V.; HUFFMAN, J. Seed-dispersal and seedling recruitment patterns by the last Neotropical megafaunal element in Amazonia, the tapir. Journal of Tropical Ecology, Winchelsea, v. 16, p. 369-385, 2000.

GETTY, R.; SISSON, S.; GROSSMAN, J. D. Anatomia dos animais domésticos. Vol. 1. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1986. 1134 p.

HELENO, A. R.; SANTOS, L. M.; MIGLINO, M. A.; PERES, J. A.; GUERRA, R. R. Biometria, histologia e morfometria do sistema digestório do cachorro-do-mato (Cerdocyon thous) de vida livre. Biotemas, Florianópolis, v. 24, n. 4, p. 111-119, 2011.

HERNÁNDEZ-DIVERS, S.; QUSE, V.; MAY, J. A.; THOISY, B. DE; VANSTREELS, R. E. T.; MARQUEZ, P. A. B.; TORRES, I. L. Manual de medicina veterinária de antas em campo. IUCN/SSC Tapir Specialist Group (TSG), Comitê de Veterinária, 2007. 60 p.

HILDEBRAND, M. Análise da estrutura dos vertebrados. São Paulo: Atheneu, 1995. 700 p.

HOLANDA, E. C. Os Tapiridae (Mammalia, Perissodactyla) do pleistoceno superior do estado de Rondônia, Brasil. 2007. 80 f. Dissertação (Mestrado em Geociências) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2007.

INTERNATIONAL COMMITTEE ON VETERINARY GROSS ANATOMICAL NOMENCLATURE. Nomina anatômica veterinária. 5 ed. Knoxville: World Association on Veterinary Anatomist, 2012. 160 p.

KÖNIG, H. E.; LIEBICH, H. G. Anatomia dos animais domésticos – Aparelho locomotor. Vol. 1. Porto Alegre, Artmed, 2002. 269 p.

MEDICI, E. P.; FLESCHER, K.; BEISIEGEL, B. de M.; KEUROGHLIAN, A.; DESBIEZ, A. L. J.; GATTI, A.; PONTES, A. R. M.; CAMPOS, C. B. de; TÓFOLI, C. F. de; MORAES JÚNIOR, E. A.; AZEVEDO, F. C. de; PINHO, G. M. de; CORDEIRO, J. L. P.; SANTOS JÚNIOR, T. S.; MORAIS, A. A. de; MANGINI, P. R.; RODRIGUES, L. F; ALMEIDA, L. B. de. Avaliação do risco de extinção da anta brasileira Tapirus terrestris Linnaeus, 1758, no Brasil. Biodiversidade Brasileira, Brasília, v. 2, n. 3, p. 103-116, 2012.

PADILLA, M.; DOWLER, R. C. Tapirus terrestris. Mammalian Species, New York, v. 2, n. 481, p. 1-8, 1994.

PEREIRA, S. G.; SANTOS, A. L. Q.; BORGES, D. C. S.; RIBEIRO, P. R. Q.; SOUZA, R. R. Anatomia óssea e muscular do cíngulo escapular e braço de Tapirus terrestris (Perissodactyla: Tapiridae). Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 16, n. 2, p. 268-278, 2015.

RINCÓN, G. Restricción química, hematologia y hallazgos parasitários del Proyecto Ecología y Conservación de la Danta de Montaña em los Andes Centrales de Colombia. 2008. 172 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidad de Ciencias Aplicadas y Ambientales, Bogotá. 2008.

ROSA, L. A.; SILVA, F. O. C.; SANTOS, A. L. Q.; SILVA, D. C de O.; SANTOS, L. A. dos S.; LIZARDO, F. B. Origem e distribuição do nervo axilar em tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla). Biotemas, Florianópolis, v. 25, n. 3, p. 249-255, 2012.

VARELA, G. Osteología y miología de lós miembros anterior e posterior del venado de campo (Ozotoceros bezoarticus). 2010. 51 f. Tesina (Licenciatura en Ciências Biológicas) - Universidad de La República Uruguay, Montevidéu. 2010.

VIDOLINI, G. P.; BIODINI, D.; WANDEMBRUCK. A. A anta (Tapirus terrestris) em Fragmentos de Floresta com Araucária, Paraná, Brasil. Floresta, Curitiba, v. 41, n. 4, p. 685-694, 2011.

Publicado

2017-05-25

Edição

Seção

Artigos