Avaliação do Índice de Estado Trófico como ferramenta para monitoramento de atividades aquícolas em reservatórios continentais

Emílio Sousa Pinho, Clauber Rosanova, Flávia Tavares Matos, Rubens Tomio Honda, Guilherme Wolff Bueno, Alberto Akama

Resumo


A aquicultura é a atividade que mais cresce entre os setores de produção de alimentos, porém, se executada inadequadamente, pode causar a deterioração da qualidade da água. O objetivo do trabalho foi avaliar a utilização do Índice de Estado Trófico (IET) como ferramenta de monitoramento de atividades aquícolas, especificamente do Parque Aquícola Sucupira, área de cultivo de peixes em tanques-rede no reservatório do Lajeado em Palmas/TO. O monitoramento foi realizado entre janeiro e agosto de 2017, envolvendo a coleta de amostras para análises dos parâmetros de fósforo total e clorofila-a. Paralelamente, houve coleta de dados de temperatura, turbidez, oxigênio dissolvido, condutividade, pH e sólidos totais dissolvidos. As variáveis limnológicas (temperatura, condutividade, turbidez, oxigênio dissolvido, pH e sólidos totais dissolvidos), com exceção do fósforo total, apesar das pequenas variações de oxigênio e sólidos totais, estão de acordo com as recomendações da Resolução CONAMA 357/05. Os dados obtidos permitem concluir que a área aquícola apresentou predominância de estado trófico supereutrófico e que o estado trófico do reservatório nas proximidades dos tanques-rede sofre forte influência externa de atividades antrópicas, principalmente no período chuvoso. No período da seca, por não haver a diluição de nutrientes devido à escassez de chuvas, ocorre aumento na concentração de fósforo na água, levando a um estado hipereutrófico. O resultado se deve ao fato de o lago apresentar naturalmente altos índices de fósforo, portanto, não é possível afirmar que a aquicultura seja uma atividade impactante, sendo necessária a adoção de um programa de monitoramento com uma malha amostral mais abrangente em futuros estudos.


Palavras-chave


Aquicultura; Reservatórios; Tanque-rede

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2018v31n4p23

Direitos autorais 2018 Clauber Rosanova, Emílio Sousa Pinho, Flávia Tavares Matos, Rubens Tomio Honda, Guilherme Wolff Bueno, Alberto Akama

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.