Morfologia do desenvolvimento pós-natal dos dúctulos eferentes no camundongo negro isogênico

Antonio Marcos Orsi, Maíra Aparecida Stefanini, Hamilton Emídio Duarte, Silvana Martinez Baraldi Artoni, Eduardo Duarte Aires, Célia Cristina Leme Beu

Resumo


Por meio de estudos morfológicos, estruturais, sobre o desenvolvimento pós-natal dos dúctulos eferentes (DE), adepididimários, no camundongo negro isogênico, em diferentes idades pós-natais, entre 10 e 60 dias, pôde-se observar que aos 10 dias, as células epiteliais dos DE já apresentam uma certa diferenciação ultra-estrutural, comparativamente com as mesmas células estudadas nos DE destes roedores adultos (Orsi et al., 1996). Assim, na idade de 10 dias, as células ciliadas (C) já puderam ser observadas, e algumas células não ciliadas (NC) mostraram características subcelulares sugestivas de ocorrência de processo secretório apócrino, em nível de citoplasma apical. Outras observações, em nível de microscopia de luz, foram feitas sobre a morfologia dos DE, entre 20 e 60 dias, levando-se a pressupor uma diferenciação muito precoce do epitélio tubular eferencial nesta espécie.

Palavras-chave


Dúctulos eferentes; Desenvolvimento pós-natal; Morfologia; Camundongo

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1997 Antonio Marcos Orsi, Maíra Aparecida Stefanini, Hamilton Emídio Duarte, Silvana Martinez Baraldi Artoni, Eduardo Duarte Aires, Célia Cristina Leme Beu

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.