Contribuição ao estudo das vias bilíferas em gambás ( Didelphis aurita – Wred, 1827). Comportamento do ductus choledocus e ductus cysticus. Sistematização do ramus principalis Dexter

Luiz Emmanuel Baptista da Silva, Nilson Fereira, Ademar de Souza Ademar de Souza, Geraldo Morgado Fagundes, Maria Terezinha Teixeira Braga, Ambires Cecílio Machado Riella

Resumo


Com a finalidade de estudar o sistema excretor dos animais silvestres, especialmente os marsupiais, examinamos 30 fígados de gambás (Didelphis  aurita), 15 machos e 15 fêmeas, adultos, provenientes da     ilha  de Santa Catarina, minicipio de Florianópolis. Após a injeção de Neoprene Latex “650” e fixação em formol à 10,0%, as peças foram  dissecadas e esquematizadas, chegando-se às seguintes conclusões:1) o ductus chole docus, sempre livre de tributários, surge da união do ramus principalis  Dexter e ramus principalis sinister (100,0%);2) o ductus cysticus compõe     o sistema do ramus principalis Dexter (83,3%), mostrando-se livre (76,7%)   e recebendo contri buições do lobus sinster medialis (3,3%) e do lobus Dexter medialis (3,3%). Participa, ainda do sistema do ramus principalis sinister (16,7%), apresen tando-se ivre de afluentes;3) Integram o sistema do rams  principalis Dexter, o ramus processi caudati e o ramus lobi dextri laterralis,(100,0%), ramus lobi detri medialis (93,3%), o ductus cysticus (83,3%), o ramus lobi quadrati (26,7%) e o ramus lobi sinistri medialis (20,0%), afora tributários inomi nados do lobus caudatus (processus caudatus), lobus Dexter lateralis, lobus Dexter medialis e lobus sinister medialis.


Palavras-chave


Anatomia; Vias biliferas; Fígado e Gambás

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1995 Luiz Emmanuel Baptista da Silva, Nilson Fereira, Ademar de Souza Ademar de Souza, Geraldo Morgado Fagundes, Maria Terezinha Teixeira Braga, Ambires Cecílio Machado Riella

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.