Análise de antígenos de superfície e classificação sorológica de Neisseria gonorrhoeae

Elza de Fátima Albino Smânia, Artur Smânia Junior

Resumo


A Neisseria gonorrhoeae apresenta na superfície vários antígenos relacionados com a sua virulência. O pili é uma estrutura de constituição proteica e sua presença dificulta a fagocitose. As proteínas PI, PII e PIII são os antígenos mais importantes da membrana externa e a PII interage com receptores presentes nas mucosas. O lipooligossacarídeo é constituído por lipídeo A e core oligossacarídico e medeia o principal dano tóxico na célula hospedeira. Além da importância das estruturas de superfície na virulência do gonococo, a proteína I ainda está relacionada com a classificação sorológica desses microorganismos. Baseado na composição dessa proteína, os gonococos são distribuídos nos sorogrupos WI, WII e WIII e nos sorotipos de 1 a 9. Os sorotipos de 1 a 3, de 4 a 8 e o 9 pertencem aos sorogrupos WI, WII e WIII, respectivamente.

Palavras-chave


Neisseria gonorrhoeae; Antígeno de superfície; Grupagem sorológica; Tipagem sorológica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1992 Elza de Fátima Albino Smânia, Artur Smânia Junior

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.