Diferenças individuais nas relações de dominância, em colônias semi-naturais de ratos albinos, usando o paradigma intruso-residente.

José Eduardo Peron, José Mariano Neto, Candido Geraldo Freitas

Resumo


A abordagem etológica da agressão ressaltou a importância do modelo residente-intruso, na investigação do comportamento agonistico do rato albino. Todavia, colônias estabelecidas de ratos domésticos podem tanto ignorar quanto aceitar pacificamente um macho intruso e, algumas vezes, os intrusos podem mesmo submeter machos residentes. Na população de ratos domésticos (linhagem wistar), foi descrita a existência de 3 tipos de ratos dominantes. É justificada a preferência por machos moderados quanto do uso do modelo residente-intruso.

Palavras-chave


Agressão; Modelo resident- intruso; Colônia; Diferenças individuais; Dominância; Etologia; Ratos albinos.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 1988 José Eduardo Peron, José Mariano Neto, Candido Geraldo Freitas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.