Sobre os monumentos escultóricos: por uma pedagogia da memória

Alex Medeiros Kornalewski

Resumo


A presente pesquisa tem por objetivo refletir sobre os suportes escultóricos que adquirem a qualidade de monumento, além de refletir sobre a sua função pedagógica. Sendo assim, alguns apontamentos sobre a relação conceitual entre memória e história mostram-se fundamentais para pensar sobre os monumentos. Em complemento, discute-se a distinção entre monumento e monumento histórico. Em seguida, discorre-se sobre a função pedagógica dos monumentos, tomando como exemplo ilustrativo o Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial (monumento aos pracinhas) localizado no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro e o monumento fúnebre de Ary Barroso localizado no cemitério São João Batista de Botafogo, Rio de Janeiro. Por fim, apresenta-se uma proposta interdisciplinar ao incluir os monumentos na prática pedagógica, ressaltando a existência de vantagens e desafios que os seguintes atores - aluno, professor e bibliotecário - podem se deparar, além de considerar o último essencial no processo educacional proposto. 


Palavras-chave


Memória; Educação; Monumento; Bibliotecário

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8951.2015v16n109p62

Direitos autorais 2017 Alex Medeiros Kornalewski

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1984-8951.