Política nacional sobre drogas e saúde mental: percepções dos gestores e os desafios intersetoriais no arranjo politico

Conteúdo do artigo principal

Maria Milaneide de Souza
Rafael Nicolau Carvalho
Leandro Roque da Silva
Jossana Rafaela dos Santos
Elisangela Braga de Azevedo
Patricia Barreto Cavalcanti

Resumo

O debate em torno da Intersetorialidade vem se processando no âmbito das políticas públicas, visando à construção de ações e serviços mais integrados, que superem a ineficiência da fragmentação do setor público. No campo específico da Saúde Mental, esse debate surge com o Movimento da Reforma Psiquiátrica que se estende também à Política Integral de cuidados as pessoas que fazem uso prejudicial de álcool, crack, e outras drogas, por considerar os múltiplos determinantes do uso prejudicial dessas substancias, e a necessidade de inclusão social das pessoas que as usam abusivamente. O objetivo do trabalho foi analisar a construção da estratégia da Intersetorialidade na atenção às pessoas que fazem uso problemático de álcool, crack e outras drogas, a partir da percepção dos gestores da Rede de Atenção Psicossocial do município de Cabedelo-PB/Brasil. O percurso metodológico privilegiou a abordagem qualitativa, recorreu-se a entrevista semiestruturada e a observação participante. Teve como cenário a gestão dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS I e CAPS AD); Gerencia da Atenção Básica e a Secretaria de Saúde. A amostra foi composta por 06 gestores dos referidos serviços. Para analise das falas foi utilizada a técnica de analise de conteúdo. Constata-se que o debate sobre Intersetorialidade está presente nas discussões politicas dos gestores dos serviços de saúde mental, porém é atribuída a responsabilidade aos profissionais do serviço, evidenciado como estratégia profissional. Todavia os arranjos intersetoriais são ressaltados no trato aos usuários de crack, álcool e outras drogas como de extrema relevância para atenção integral.

Detalhes do artigo

Como Citar
DE SOUZA, . M.; CARVALHO, . N.; DA SILVA, . R.; DOS SANTOS, . R.; DE AZEVEDO, . B.; CAVALCANTI, . B. Política nacional sobre drogas e saúde mental: percepções dos gestores e os desafios intersetoriais no arranjo politico. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 5, n. 11, p. 67–87, 2013. DOI: 10.5007/cbsm.v5i11.68808. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/68808. Acesso em: 2 fev. 2023.
Seção
Artigos originais