Cidade múltipla, vidas singulares: análise de narrativas do cotidiano de usuários de serviços substitutivos a internação psiquiátrica.

Conteúdo do artigo principal

Lucas Henrique Braga

Resumo

A Reforma Psiquiátrica preconiza a construção de um trabalho que possibilite cada vez mais a circulação e a autonomia do sujeito usuário de serviços substitutivos à internação. O sujeito é considerado dentro de um contexto singular, que leva em conta os diferentes espaços de sociabilidade e a interação com o território. A partir dessas premissas e visando uma melhor compreensão da realidade dessa nova modalidade de trabalho, desenvolveu-se uma pesquisa empírica junto a usuários de serviços substitutivos ao hospital psiquiátrico que compõem a Rede de Atenção Psicossocial do município de Belo Horizonte. Participaram da pesquisa cinco sujeitos, entre moradores de Serviços Residenciais Terapêuticos e usuários do Centro de Convivência de uma das regionais do município. Foram realizadas observações participantes do cotidiano desses sujeitos, buscando identificar como se estabelecem as suas relações com o território e com os serviços que os assistem. A partir dos dados obtidos, foi feita uma analise crítica dos pontos observados, buscando contribuir com as novas práticas em saúde mental preconizadas pela Reforma Psiquiátrica.

Detalhes do artigo

Como Citar
BRAGA, . H. Cidade múltipla, vidas singulares: análise de narrativas do cotidiano de usuários de serviços substitutivos a internação psiquiátrica. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 8, n. 20, p. 44–69, 2016. DOI: 10.5007/cbsm.v8i20.68906. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/68906. Acesso em: 1 out. 2022.
Seção
Trabalho com Cultura e Arte: Implicações em Saúde Mental e Atenção Psicossocial
Biografia do Autor

Lucas Henrique Braga, UFMG

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010). Mestrado em Psicologia Social no Programa de Pós-Graduação de Psicologia da UFMG (2013). Tem experiência nas áreas de Psicologia Social, Psicanálise e, em especial, Saúde Mental. Trabalha atualmente como Referência Técnica em Saúde Mental na Prefeitura Municipal de Nova Lima.