Práticas Corporais em Saúde Mental na vida contemporânea

Conteúdo do artigo principal

Suela M. Bernardes
Hannah Theis
Magda C. Zurba
Andrea S. Noto

Resumo

Neste trabalho pretendemos discutir o lugar do corpo na sociedade, o simbolismo adquirido ao longo da história e sua relação com as práticas contemporâneas em saúde mental. Para tanto, torna-se necessário refletir sobre a história da simbologia do corpo e das praticas corporais em saúde mental, e seu desdobramento na (pós) modernidade. Busca-se ainda compreender como as praticas corporais podem ser utilizadas enquanto recursos terapêuticos no cotidiano dos profissionais de saúde mental, entendendo-se o corpo como a expressão da linguagem do sujeito, ou seja, como a possibilidade de exteriorização dos conflitos, vivências e sentimentos e também como narrativa de si. Assim sendo, pode-se considerar as práticas corporais como recursos terapêuticos enriquecedores do processo de cuidado em saúde mental, uma vez que propiciam um olhar para o sujeito em sua integralidade, e possibilitam aos profissionais da saúde um entendimento sobre o corpo como um local de linguagem e expressão, fundamental para a construção de um projeto de cuidado em saúde mental, humanizado e holístico. 

Detalhes do artigo

Como Citar
BERNARDES, . M.; THEIS, .; ZURBA, . C.; NOTO, . S. Práticas Corporais em Saúde Mental na vida contemporânea. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 6, n. 13, p. 161, 2014. DOI: 10.5007/cbsm.v6i13.68936. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/68936. Acesso em: 26 nov. 2022.
Seção
Resumos