Promoção e prevenção em Saúde Mental? Resgatando debates históricos

Conteúdo do artigo principal

Raquel Valiente Frosi

Resumo

Durante o processo de Reforma Psiquiátrica no Brasil, alguns debates ocorreram em torno da ação em saúde mental executada na atenção básica, em especial criticando-a sua capacidade de retroalimentar o asilo e de ampliar a extensão da cobertura do saber médico sobre a sociedade (Birman e Costa, 1994; Lancetti, 1989). Após um período de mudanças, em que se assumiu o CAPS como dispositivo para tensionar o manicômio, em um novo cenário voltam-se os olhares para a atuação em saúde mental na atenção básica, inclusive pela reestruturação da rede de atenção à saúde pela ESF. Entretanto, novamente somos convocados a uma crítica acerca da capacidade medicalizante da atuação neste campo, agora não mais associada somente ao asilo, mas principalmente ao uso dos psicofármacos. Neste sentido, este trabalho se propõe a resgatar o debate apresentado por estes autores, tomando em especial as noções de prevenção de doenças e de promoção à saúde, pautando-as no contexto atual.

Detalhes do artigo

Como Citar
FROSI, . V. Promoção e prevenção em Saúde Mental? Resgatando debates históricos. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 6, n. 13, p. 151, 2014. DOI: 10.5007/cbsm.v6i13.68940. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/68940. Acesso em: 26 nov. 2022.
Seção
Resumos