A ARTE DO BORDADO DENTRO DA PERSPECTIVA DA CLÍNICA DE AFETOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/cbsm.v12i33.69190

Palavras-chave:

Nise da Silveira, oficinas terapêuticas, reabilitação psicossocial

Resumo

a Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro em Porto Alegre funciona de maneira semelhante ao trabalho realizado no Hospital do Engenho de Dentro por Doutora Nise da Silveira, visto que busca se inscrever em uma Clínica de Afetos, e é um dispositivo de reabilitação psicossocial para a rede de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Olhando um pouco mais de perto para as Bordadeiras de São Pedro (grupo de bordado composto por mulheres com a faixa etária entre 40 e 60 anos que se reúne desde 2011), percebe-se que o processo artístico é, além de uma prática terapêutica, um exercício de autonomia e cidadania e de fortalecimento de trabalhos em equipe. Cada bordadeira contribui de forma criativa e dinâmica para com o processo realizado nas manhãs de quintas-feiras. E é especificamente sobre uma de suas frequentadoras, Teresa, e sobre sua confecção de uma série de bonecas bordadas, flagra da potência do fazer-refletir, que seguem os pontos e o texto.  

Biografia do Autor

Christine Gryschek, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Acadêmica de Psicologia da PUCRS. 

Trabalha no HPSP em Porto Alegre, no SAPP-PUCRS e como pesquisadora CNPQ em Literatura.

Bárbara Elisabeth Neubarth, HPSP- Porto Alegre

Doutora em Educação (UFRGS), na linha de pesquisa Arte, Cultura, Educação e Psicanálise, com a tese: NO FIM DA LINHA DO BONDE, UM TAPETE VOA-DOR: a Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro (1990-2008): inventário de uma práxis. Mestre em Educação (UFRGS). Bacharel e licenciada em Psicologia pela PUCRS. Especialista em Psicoterapia de Orientação Analítica (Centro de Estudos Luis Guedes/ CELG/ Faculdade de Medicina/ UFRGS) Psicóloga concursada da Secretaria de Estado da Saúde (SES/RS), no Hospital Psiquiátrico São Pedro, exercendo atividades na Oficina de Criatividade, na coordenação do Serviço de Psicologia e como supervisora da área de artes da Residência em Saúde Mental Coletiva/ RIS/ESP. Tem experiência na área de Saúde Mental Coletiva, com ênfase em: artes e psicanálise e reabilitação psicossocial. Acadêmica do bacharelado em Artes Visuais do Instituto de Artes/ UFRGS.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Edição

Seção

Artigos de pesquisa