Práticas empregadas no tratamento para dependentes de substâncias psicoativas em comunidades terapêuticas brasileiras: uma revisão sistemática da literatura entre 2005-2015

Leila Gracieli Da Silva, Paulo Renato Vitória Calheiros

Resumo


RESUMO: O presente trabalho objetivou identificar as publicações brasileiras sobre os tratamentos à dependência química ofertados por Comunidades Terapêuticas entre 2005 e 2015. Utilizou-se a metodologia proposta por Minayo (2010). Os dados selecionados apontam: escassa produção nacional sobre a temática; distanciamento entre o que é feito na prática e o que é preconizado pelas Políticas Públicas vigentes; predominância de atividades religiosas; poucos profissionais especializados; abordagens pautadas em discursos moralistas; e abstinência como meta terapêutica. Esta revisão reuniu dados significativos acerca dos métodos empregados como alternativas de tratamento à dependência química e sinalizou a urgência de ampliação das pesquisas na área, dada a importância e vigência da temática, somados a fato de que para melhorar os tratamentos é preciso, previamente, conhecê-los. 


Palavras-chave


Dependência Química; Centros de Tratamento de Abuso de Substâncias. Comunidades Terapêuticas. Avaliação de serviços de saúde. Tratamentos.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Cadernos Brasileiros de Saúde Mental, ISSN 2595-2420, Florianópolis - Santa Catarina, Brasil. Todos os direitos reservados, 2020.