A temporalidade e o vivido no trabalho: objeto de dominação e prova do sofrimento psíquico

Conteúdo do artigo principal

Andréa Luiza da Silveira
http://orcid.org/0000-0001-7446-747X

Resumo

Através da nossa experiência profissional de atenção psicológica a trabalhadores nos deparamos com situações em que o impacto sobre a saúde modifica aspectos importantes do mundo psíquico. A temporalidade é uma das dimensões fundamentais para compreendermos os fenômenos de ordem do psíquico imanente ao vivido. Neste sentido, visamos discutir neste texto as modificações na temporalidade, utilizando como ilustração um caso clínico em que o abalo a saúde ocorre ao longo do desenvolvimento das atividades laborais – estas que são objeto de uma organização do trabalho que visa à dominação negando os direitos humanos, sociais e trabalhistas e, deste modo, impactando a constituição do psíquico. 

Detalhes do artigo

Como Citar
SILVEIRA, . L. da. A temporalidade e o vivido no trabalho: objeto de dominação e prova do sofrimento psíquico. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 10, n. 25, p. 184–204, 2018. DOI: 10.5007/cbsm.v10i25.69611. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69611. Acesso em: 6 dez. 2022.
Seção
3º Fórum de Direitos Humanos e Saúde Mental
Biografia do Autor

Andréa Luiza da Silveira, Universidade Comunitária da Região de Chapecó

Graduada em Psicologia - UFSC. Messtre em Engenharia de Produção - UFSC. Doutora em Psicologia Social e Institucional - UFRGS. Professora de Psicologia da Universidade Comunitária da Região de Chapecó. Membro do Grupo de Pesquisa Práticas Psicológicas - linha Educação, Trabalho e Políticas Públicas.