Do ninho do gozo ao ninho do cuidado: Corpo, teatro e saúde mental

Conteúdo do artigo principal

Adriele Cardoso Sussuarana
http://orcid.org/0000-0001-6316-1299
Adriana Barbosa Ribeiro
Aleson Hernan Morais dos Santos

Resumo

A mudança de paradigma com a reforma psiquiátrica e a política de redução de danos ocorre na medida em que o cuidado não se concentra na busca pela cura ou pela estabilização do paciente, mas quando vai além e articula a problematização da criação de vida, da sociabilidade e da utilização dos espaços coletivos. Objetiva-se através deste trabalho expor um relato de experiência sobre a vivência em um grupo de teatro de usuários de um Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e outras Drogas (CAPS-AD) na cidade de Macapá, capital do Amapá. Descreve-se de forma breve através de pesquisa qualitativa um recorte sobre como o teatro e práticas de sensibilização e expressão corporal podem denunciar as possíveis relações de poder inscritas no corpo de usuários que estão inseridos em contextos sociais distintos, podem ajudar a horizontalizar a relação entre técnico e usuário, bem como proporcionar a ressignificação de estigmas através do fortalecimento coletivo de subjetividades e apropriação do território. Trata-se de um recurso que contribui para a emancipação e construção de uma atenção em saúde coletiva que subverte o difícil contexto de efetivação da política de saúde mental no Estado do Amapá.

Detalhes do artigo

Como Citar
SUSSUARANA, . C.; RIBEIRO, . B.; SANTOS, . H. M. dos. Do ninho do gozo ao ninho do cuidado: Corpo, teatro e saúde mental. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 10, n. 25, p. 83–95, 2018. DOI: 10.5007/cbsm.v10i25.69621. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69621. Acesso em: 7 dez. 2022.
Seção
3º Fórum de Direitos Humanos e Saúde Mental
Biografia do Autor

Adriele Cardoso Sussuarana, Secretaria de Saúde do Estado/GEA

Graduada em Psicologia pela Faculdade Estácio Seama (2008-2012); Psicanalista em formação pelo CPPA-Círculo Psicanalítico do Pará filiado ao CBP-Círculo Brasileiro de Psicanálise (2013-2017). Atua como Assessora Técnica na Coordenação Estadual de Saúde Mental. É responsável pela implantação do Serviço de Residência Terapêutica (SRT Tipo-II) e pelo processo de desinstitucionalização dos pacientes do Hospital de Custódia e da ala psiquiátrica do Hospital Geral. Atua em consultório particular com ênfase na clínica psicanalítica (2013). Tem experiência como psicóloga no CAPS-AD Espaço Acolher (2014-2017) e no Hospital da Criança e do Adolescente (2013). Realizou estágio clínico na ala masculina do regime fechado do IAPEN-Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (2012) e atuou como auxiliar de pesquisa no Projeto de Doutorado/UFPA intitulado "Sociedade, Indivíduo e Comportamento". Autor: Washington L. O. Brandão (2011). É uma das responsáveis pela organização do Movimento da Luta Antimanicomial no Amapá. Áreas de interesse: psicanálise e saúde mental.

Adriana Barbosa Ribeiro, Psicóloga Instituto Federal do Amapá- IFAP e doutoranda Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC

Doutoranda na área de concentração Práticas Culturais e Processos de Subjetivação do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), bolsista de pós-graduação da CAPES (2008-2010). Graduada em Psicologia na UFRN (2008) e atuante como bolsista de iniciação científica (bolsa IC/CNPQ 2003 - 2007). Atualmente é psicóloga do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (2010 -atual) e foi por 5 anos Coordenadora do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas- NAPNE (2011- 2016). Atuou, também, como docente no curso de graduação de Psicologia da Faculdade Estácio de Macapá (2012- 2016) e em cursos de pós-graduação em Psicologia e Educação Especial. É integrante como vice-coordenadora do Núcleo de Tecnologia Assistiva do IFAP (2013-2016). Tem experiência na área de Psicologia, atuando principalmente com os seguintes temas: formação e atuação do psicólogo, psicologia da aprendizagem, direitos humanos, Inclusão de Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas e Diversidade. . Também desenvolve trabalhos na área da Psicologia Educacional/Escolar.