TECNOLOGIAS LEVES NO CUIDADO NA ATENÇÃO PSICOSSOCIAL: ENTENDIMENTO E USO POR PROFISSIONAIS NA REDE DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE CORUMBÁ-MS

Autores

Palavras-chave:

ferramentas de apoio ao cuidado, rede de saúde, saúde mental, percepção dos profissionais

Resumo

O estudo objetivou estudar a percepção dos profissionais da Rede de Saúde do Município de Corumbá MS, sobre as ferramentas de cuidado na Atenção Psicossocial. Trata-se de uma pesquisa quantitativa, seccional, descritiva desenvolvida a partir da coleta de dados primários que incluiu 63 profissionais das unidades que compõem a Rede de Saúde. Os resultados revelaram que as equipes dos CAPS possuem melhor articulação com outros serviços da RAPS quando comparadas com as equipes de ESF. As ferramentas utilizadas para o atendimento e acompanhamento dos pacientes com transtorno mental como apoio matricial, clínica ampliada e projeto terapêutico singular não fazem parte da rotina, nas unidades. Os resultados revelam que apenas 21% dos profissionais da ESF e 50% dos profissionais dos CAPS utilizam o apoio matricial em sua rotina de atendimento; 75% dos profissionais das equipes de ESF não usam a clínica ampliada e 67% não tem o projeto terapêutico singular como ferramenta de apoio. A desarticulação se confirma quando se observa os resultados referentes ao uso ainda incipiente das ferramentas de apoio no tratamento e/ou acompanhamento do paciente com transtorno mental – apoio matricial, clínica ampliada e projeto terapêutico singular.

 

Biografia do Autor

Silvia de Medeiros Vieira, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Atuo como dentista em equipe de Saúde da Família, em Corumbá-MS. Sou mestre em Saúde da Família, pela UFMS.

Silvia Segóvia Araújo Freire, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Psicóloga, atua no Centro de Atenção Psicossocial Alcool e Drogas, no município de Corumbá-MS. Mestre em Saúde e Desenvolvimento da Região Centro-Oeste, pela UFMS.

Downloads

Publicado

2021-04-12

Edição

Seção

Artigos de pesquisa