Ativos Intangíveis e Governança Corporativa no Mercado de Capitais Brasileiro
DOI:10.5007/2175-8069.2011v8n16p89

Julio Henrique Machado, Rubens Famá

Resumo


O desenvolvimento constante do ambiente de negócios gerou dois elementos muito debatidos pela comunidade acadêmica: Ativos Intangíveis e Governança Corporativa. Como os referidos ativos são também provenientes da imagem da companhia no mercado, percebe-se então sua ligação com práticas de Governança Corporativa. Assim, o presente trabalho, de natureza exploratória-descritiva, tem o objetivo de verificar o nível médio de intangibilidade das companhias listadas na BM&FBOVESPA conforme os segmentos diferenciados de Governança Corporativa aos quais submetem-se. Foi estudado o período de 2002 a 2007 tendo o índice de intangibilidade como variável de pesquisa. Observou-se que as companhias que aderem ao mais alto nível de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA, o Novo Mercado, apresentaram em média maior intangibilidade. O Nível 2 e o Nível 1 não apresentaram diferença significativa na variável estudada, mas possuem um nível médio de intangibilidade menor do que o grupo formado pelas companhias que não aderem aos níveis mais altos de governança.

Palavras-chave


ativo intangível, governança corporativa, mercado de capitais

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2011v8n16p89



Locations of visitors to this page

Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, Brasil. ISSN (impresso)1807-1821 - ISSN (eletrônico) 2175-8069