Manipulação de informações contábeis no setor público brasileiro: evidências em dez casos pesquisados

Autores

  • Giovanni P.C. Lustosa da Costa Universidade de Brasília
  • Ivan Ricardo Gartner Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2015v12n26p141

Palavras-chave:

Contabilidade Gerencial, Manipulação de Informações Contábeis no Setor Público, Finanças Públicas

Resumo

A manipulação de informações contábeis é prática reconhecida em instituições públicas e privadas, embora sua evidenciação não seja simples. Este estudo tem o objetivo de evidenciar a ocorrência da manipulação contábil no setor público brasileiro e de analisar os possíveis impactos de tais práticas. O estudo utilizou a metodologia de análise de estudos de casos múltiplos, com foco na análise de dez situações de manipulação contábil, e apontou que a manipulação reflete as relações entre os Poderes Executivo e Legislativo, bem como as relações Governo-Sociedade; Governo-Investidores; Governo-Setores Econômicos; e Governo-Estatais. 

Biografia do Autor

Giovanni P.C. Lustosa da Costa, Universidade de Brasília

Doutorando e mestre em Ciências Contábeis pela UnB (programa Unb - Ufpb - Ufrn). Possui graduação em Ciência Militares - Infantaria pela Academia Militar das Agulhas Negras (2000), graduação em Administração de Empresas pela Universidade Estadual do Ceará (2006), especialização em Operações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (2008). Chefiou a Coordenação Geral de Técnicas, Procedimentos e Qualidade da Secretaria Federal de Controle da Controladoria-Geral da União em 2013 e 2014; e atualmente chefia a Coordenação Geral de Integração e Desenvolvimento Institucional da Secretaria Executiva da CGU. Tem experiência na área de Administração com ênfase em Administração Pública; e nas áreas de (i) Avaliação da Gestão dos Administradores Públicos e de (ii) Programas do Governo Federal com ênfase em Controles Internos Administrativos, Auditoria Governamental, Governança no Setor Público, Orçamento Público e Contabilidade Pública, ministrando diversas palestras e oficinas sobre os temas para servidores públicos federais.

Ivan Ricardo Gartner, Universidade de Brasília

Economista, Especialista em Projetos de Viabilidade Econômica, Mestre, Doutor em Engenharia de Produção (UFSC), Pós-Doutor em Administração (FEA-USP) e Pós-Doutor em Pesquisa Operacional (FernUni Hagen). Iniciou sua carreira docente no ensino médio em 1991 e no ensino superior em 1995, tendo lecionado disciplinas de Economia, Finanças, Avaliação de Processos Decisórios e Métodos Quantitativos Aplicados à Gestão. Suas especialidades em docência e pesquisa referem-se à Administração Financeira, Processo Decisório em Finanças, Otimização de Portfolios de Investimento, Programação Matemática Aplicada às Finanças Corporativas, Processo Decisório e Alocação de Recursos em Bancos de Desenvolvimento, Análise de Fundamentos Corporativos e Risco. Sua inserção global é caracterizada por ter sido Pesquisador-Visitante do Departamento de Pesquisa Operacional da FernUniversität in Hagen e Consultor Internacional da Associação Latino-Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento (ALIDE). Atualmente, é Professor Titular do Departamento de Administração da Universidade de Brasília.

Referências

BANCO CENTRAL DO BRASIL - BACEN. Definição e histórico. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/?COPOMHIST. Acesso em 13 jun. 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. (L. de A. Rêgo & A. Pinheiro, trads.) Lisboa. Ed. 70. 2006 (1977).

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 5 out. 1988.

______. Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providencias. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 5 maio 2000, Seção 1, p. 1.

______. Congresso Nacional. Resolução n.º 1, de 22 de dezembro de 2006, do Congresso Nacional: Dispõe sobre a Comissão Mista Permanente a que se refere o § 1º do art. 166 da Constituição e sobre a tramitação das matérias a que se refere o mesmo artigo. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 26 dez. 2006, Seção 1, p. 4-10.

_______. Tribunal de Contas da União (TCU). Acórdão 747 – Plenário, de 14 de abril de 2010. Disponível em: https://contas.tcu.gov.br/juris/Web/Juris/ConsultarTextual2/Jurisprudencia.faces?ano Acordao=2010&numeroAcordao=747. Acesso em 12 jun. 2014.

_______. Controladoria Geral da União. Relatório de Auditoria Anual de Contas. Brasília, 25 set. 2013. Disponível em: http://sistemas.cgu.gov.br/relats/uploads/RA201305697.pdf. Acesso em 13 jun. 2014.

_______. Caixa Econômica Federal - CEF. Nota de esclarecimento, Brasília, jan. 2014. Disponível em: http://www1.caixa.gov.br/imprensa/noticias/asp/popup_box.asp?codigo=7013459. Acesso em 13 jun. 2014.

BURGSTAHLER, D.; DICHEV, I. Earnings management to avoid earnings decreases and losses. Journal of Accounting and Economics, v. 24, p. 99-126, 1997.

BURGSTAHLER, David C.; HAIL, Luzi; LEUZ, Christian. The importance of reporting incentives: earnings management in European private and public firms. The Accounting Review, v. 81, n. 5, Oct., p. 983-1016, 2006.

CFC – Conselho Federal de Contabilidade. Resolução nº 1.128, de 21 de novembro de 2008. Aprova a NBC T 16.1 – Conceituação, Objeto e Campo de Aplicação. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 25 nov. 2008.

CUPERTINO, C.; MARTINEZ, A. L. Qualidade da auditoria e earnings management risk assessment através do nível de accruals discricionários. Revista Contabilidade Vista & Revista, v. 19, p. 69-93, 2008.

DECHOW, P. M.; DICHEV, I. D. The quality of accruals and earnings: the role of accrual estimation errors. The Accounting Review, Sarasota, v. 77, n. 4, supplement, p. 35-59, Oct. 2002.

FORMIGONI, H.; ANTUNES, M. T. P.; PAULO, E. Diferença entre o lucro contábil e o lucro tributável: uma análise sobre o gerenciamento de resultados contábeis e gerenciamento tributário nas companhias abertas brasileiras. Brazilian Business Review, v. 6, n. 1, p. 44-61, 2009.

HEALY, P.M. The effect of bonus schemes of accounting decisions (Symposium on Management Compensation and the Managerial Laboratory Market). Journal of Accounting & Economics. Rochester, 7, p. 85-107, 1985.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/. Acesso em 6 jun. 2014.

INSTITUTE OF INTERNAL AUDITORS – IIA. Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna (Normas). Standards and Guidance 247 Maitland Avenue Altamonte Springs, FL 31701-4201, USA, 2012, p. 23. Disponível em: . Acesso em 6 jun. 2014.

JONES, J. J. Earnings Management During Import Relief Investigations. Journal of Accounting Research, v. 29, n. 2, p. 193-228, 1991.

KANG, S.; SIVARAMAKRISHNAN, K. Issues in testing earnings management and an instrumental variable approach. Journal of Accounting Research. Oxford: v. 33, n. 2, p. 353-367, autumn 1995.

LIMA, E. C. P. Algumas observações sobre orçamento impositivo no Brasil. Planejamento e Políticas Públicas, n. 26, jun./dez., p. 5-15, 2003.

Nova tabela do Imposto de Renda é publicada no Diário Oficial. G1, São Paulo, 2 de maio 2014.Disponível em: http://g1.globo.com/economia/imposto-de-renda/2014/noticia/2014/05/nova-tabela-do-imposto-de-renda-e-publicada-no-diario-oficial.html. Acesso em 6 jun. 2014.

PAGLIARUSSI, M. S.; JUSMEIRE, F. R.; SILVA, A. R. L.; SILVA JÚNIOR, A. Escolhas linguísticas, custos políticos e gerenciamento da imagem corporativa: o caso da Aracruz Celulose S.A. Cad. EBAPE.BR, v. 9, nº 4, artigo 11, Rio de Janeiro, dez. 2011, p. 1136-1157.

PAULO, E. Manipulação das informações contábeis: uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade do Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, 2007.

PAULO, E.; MARTINS, E.; CORRAR, L. J. Detecção do gerenciamento de resultados pela análise do diferimento tributário. Revista de Administração de Empresas - RAE, São Paulo, vol. 47, n. 1, 2007.

PETROBRAS. Fatos e Dados. A gente é mais Brasil - Refino. Rio de Janeiro, 26 abr. 2014. Disponível em: http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/video-mostra-nossa-conquista-na-area-de-refino.htm. Acesso em 12 jun. 2014.

RIBEIRO, A. A. B. Informações e elementos em defesa da tese do orçamento impositivo. Nota Técnica n. 243, de 9 de março de 2003. Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle. Brasília: Senado Federal, 2003. 4 p.

SANTOS, A.; GRATERON, I. R. Contabilidade criativa e responsabilidade dos auditores. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, n. 32, p. 7-22, maio/agosto 2003.

SANTOS, M. H. C.; MACHADO, E. M.; ROCHA, P. E. N. M. O jogo orçamentário da União: relações executivo-legislativo na terra do pork-barrel. In E. Diniz e S. Azevedo (orgs.), Reforma do Estado e democracia no Brasil. Brasília, Editora da UnB/ENAP, 1997.

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL – SRFB. Renúncia Fiscal. Brasília, 2014a. Disponível em: http://www.receita.fazenda.gov.br/Arrecadacao/RenunciaFiscal/default.htm. Acesso em: Acesso em 14 jun. 2014.

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL – SRFB. Tabela Progressiva do Imposto de Renda. Brasília, 2014b. Disponível em: http://www.receita.fazenda.gov.br/aliquotas/tabprogressivacalcmens.htm. Acesso em 14 jun. 2014.

SECRETARIA DE ORÇAMENTO FEDERAL - SOF. Brasília, 2014. Orçamento Anuais. Disponível em: http://www.orcamentofederal.gov.br/orcamentos-anuais. Acesso em 13 jun. 2014.

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL - STN. Cálculo da Rentabilidade dos Títulos Públicos ofertados no Tesouro Direto. Brasília, 2014. Disponível em: http://www3.tesouro.gov.br/tesouro_direto/download/metodologia/lft.pdf. Acesso em 13 jun. 2014.

SEIDLER, J. C. O.; DECOURT, R. F. Gerenciamento de resultados: análise bibliométrica dos estudos científicos nacionais no período de 2006 a 2013. Registro Contábil, v. 5, n. 2, 2014, p. 21-48, maio/ago.

SIGA. Portal de Orçamento do Senado Federal. Disponível em: http://www12.senado.gov.br/orcamento/sigabrasil. Acesso em 14 jun. 2014.

SILVA, M. S.; GALDI, F. C.; TEIXEIRA, A. M. C. Estudo sobre o Efeito das Eleições Presidenciais no Gerenciamento de Resultados de Empresas Atuantes em Setores Regulados. Revista Contabilidade Vista e Revista, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 45-68, 2010.

TEOH, S.H.; WELCH, I.; WONG, T.J. Earnings management and the underperformance of seasoned equity offerings. Journal of Financial Economics, North-Holland, v.50, n.1, p. 63-99, 1998.

TEODORO, W. A inflação real pode ser maior ou menor: depende de como gastamos. Jornal da Cidade, Bauru, 3 nov. 2013. Disponível em: http://www.jcnet.com.br/Geral/2013/11/a-inflacao-real-pode-ser-maior-ou-menor-depende-de-como-gastamos.html. Acesso em 14. jun. 2014.

TIROLE, J. The theory of corporate finance. Princeton and Oxford: Princeton University Press, 2006.

TOLLINI, H. Em Busca de uma Participação mais Efetiva do Congresso no Processo de Elaboração Orçamentária. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, Centro de Documentação e Informação, Coordenação de Biblioteca, maio 2008. Disponível em: http://bd.camara.gov.br. Acesso em 12 jun. 2014.

Downloads

Publicado

2016-02-24

Edição

Seção

Artigos