Mudanças organizacionais observadas durante o processo de implementação das normas contábeis internacionais

Autores

  • Camila Pereira Boscov Professora do Insper-SP
  • Luiz Nelson Guedes de Carvalho Professor da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n33p3

Palavras-chave:

Normas contábeis internacionais, Implementação, Estudo de caso, Mudanças organizacionais, Estrutura

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as principais mudanças organizacionais ocorridas com o processo de implementação do IFRS, categorizando os impactos encontrados em relação aos elementos de mudanças descritos por Mintzberg e Westley (1992, pp.40-41): cultura, estrutura, sistemas e pessoas. A estratégia de pesquisa foi um estudo de caso múltiplo, em 2011, em três empresas. O IFRS trouxe integração da área contábil com áreas fornecedoras de informações financeiras; o conselho de administração envolveu-se nessas mudanças, a área contábil ficou mais próxima do investidor e passou a conduzir consultorias financeiras; no entanto, houve desgaste no relacionamento com clientes devido a tantas novas exigências de mensuração. Houve grandes mudanças em sistemas, observou-se um maior uso de informações gerenciais na confecção de demonstrações financeiras e mudanças em covenants em função de novos critérios contábeis. Foi possível perceber alterações no perfil profissional do contador e de áreas fornecedoras de informações financeiras.

Biografia do Autor

Camila Pereira Boscov, Professora do Insper-SP

Doutora em Contabilidade na Universidade de São Paulo (USP)

Luiz Nelson Guedes de Carvalho, Professor da Universidade de São Paulo

Doutor em Contabilidade na Universidade de São Paulo (USP)

Referências

AAerts, W., & Tarca, A. (2010) Financial performance explanations and institutional setting. Accounting and Business Research, 40(5), 421-450. DOI: 10.1080/00014788.2010

Ahrens, T.C., & Chapman, C.S. (2006). Doing qualitative field research in management accounting: positioning data to contribute to theory. Accounting, Organization and Society, 31(8), 819-841. DOI: 10.1016/j.aos.2006.03.007

Auberts, F. A., & Grudnitski, G. (2011). The impact and importance of mandatory adoption of international financial reporting standards in Europe. Journal of International Financial Management & Accounting, 22, 39. DOI: 10.1111/j.1467-646X.2010.01043.x

Ballas, A.A., Skoutela, D., & Tzovas, C.A. (2010). The relevance of IFRS to an emerging market: evidence from Greece. Managerial Finance, 36(11), 931. DOI: 10.1108/03074351011081259

Banco Nacional de desenvolvimento econômico e social. (2011). Demonstração Contábil em IFRS de 2010. Recuperado em 14 de novembro, 2011, de http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Relacao_Com_Investidores/Desempenho/

Barth, M., Landsman, W., & Lang, M. (2008). International accounting standards and accounting. Quality. Journal of Accounting Research, 46(3), 467-498. DOI: 10.1111/j.1475-679X.2008.00287.x

Basil, D. C., & Cook, C.W. (1974). The management of change. Maindenhead: McGraw-Hill.

Beke, J. (2010). International accounting harmonization: evidence from Europe. International Business and Management, 1(1), 48-61. DOI:10.3968/j.ibm.1923842820100101.008

Brusca, I., & Condor, V. (2002). Towards the harmonization of local accounting systems in the international context. Financial Accountability & Management, 18(2), 129-162. DOI: 10.1111/1468-0408.00148

Campos, C. (2004). Método de análise de conteúdo: ferramenta de análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista brasileira de enfermagem, 57 (5), 611-614.

Chang, C.C., Landis, M., & Yu, S.C. (2011). Investing in accounting: a call for professional involvement in higher education. American Journal of Business Education, 4(2), 27-32. DOI: 10.19030/ajbe.v4i2.3559

Cope, A., & Clark, C. (2003). Managing the people impact. Accountancy, 132(1321), 96-97.

Cummings, T. G., Worley, C. G. (2005). Organization development and change. South Western: Thomson.

Daft. R. L. (2003). Organizações: teorias e projetos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Daske, H., Hail, H. L., Leuz, C. & Verdi, R. (2008). Mandatory IFRS reporting around the world: early evidence on the economic consequences. Journal of Accounting Research, 46(5), 1085-1142. DOI: 10.2139/ssrn.1024240

Demonstrações financeiras padronizadas do grupo CCR de 2010. Recuperado em 27 de setembro, 2011, de http://ri.ccr.com.br/grupoccr/web/default_pt.asp?idioma=0&conta=28

Drucker, P. (1991, March 28). Board of Contributors: Don't Change Corporate Culture -- Use It! Wall Street Journal, New York, p.A14.

Fajardo, C. L. (2007). The move towards convergence of accounting standards world wide. Cambridge. Journal of American Academy of Business, 12, 57-61.

Firoz, M.C.A., Ansari, A.A., & Akhtar, K. (2011). IFRS – Impact on Indian banking industry. International Journal of Business and Management, 6(3), 277-283. DOI: 10.5539/ijbm.v6n3p277

Fleury, M. T. L. (1989). Cultura organizacional: os modismos, as pesquisas as intervenções: uma discussão metodológica, Revista de Administração, 24(1), 3-9. DOI: 10.1590/S1415-65552002000100011

______., & Fischer, R.M. (1996). Cultura e poder nas organizações. São Paulo: Atlas.

Fontana, R. M., & Neto, A. I. (2006). Uma abordagem sistêmica da mudança organizacional gerada na implantação de sistemas integrados de gestão da produção. In: XIII SIMPEP. Bauru, São Paulo.

Freitas, M. E. (1991). Cultura organizacional: formação, tipologias e impacto. São Paulo: Makron.

Gannon, D. J. (2008). International financial reporting standards for US companies: planning for adoption. The Corporate Governance Advisor, 16(6), 78-84.

Haji, Z. S., & Lisboa, L.P. (2001). Business combinations e consolidação das demonstrações contábeis: uma abordagem comparativa entre os pronunciamentos e normas dos US-GAAP, IASC e Brasil. Revista de Contabilidade e Finanças, 12(27), 33-58. DOI: 10.1590/S1519-70772001000300003

Hellman, N. (2011). Soft adoption and reporting incentives: a study of the impact of IFRS on financial statements in Sweden. Journal of International Accounting Research, 10(1), 61-83. DOI: 10.2308/jiar.2011.10.1.61

Hines, R.D. (1988). Financial accounting: in communicating reality, we construct reality. Accounting, Organizations and Society, 13, 251-261. DOI: 10.1016/0361-3682(88)90003-7

Hopwood, A.G. (1983). On trying to study accounting in the contexts in which it operates. Accounting, Organizations and Society, 8, 287-305.

Ikuno, L. M., Niyama, J. K., Botelho, D. R., & Santana C. M. (2010, Julho). Contabilidade internacional: uma análise da produção científica sobre nos principais periódicos internacionais da área (2000 a 2009). In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 16. DOI: 10.11606/rco.v6i15.52661

Iudícibus, S.; Martins, E. & Gelbcke, E. R (2010). Manual de contabilidade por ações: aplicável às demais sociedades. 6. ed. São Paulo: Atlas.

Lainez, J. A., Jarne, J. I., & Callao, S. (1999). The Spanish accounting system and international accounting harmonization. The European Accounting Review, 8(1), 93-113. DOI: 10.1080/096381899336168

Levy, H. (2011). Impactos e perspectivas na implementação das IFRSs: os RIs na grande virada da contabilidade brasileira. In: Encontro Nacional de Ris e Mercado de Capitais, 13. São Paulo.

Lewin, K. (1947). Frontiers in Group Dynamics. Human Relations, 1, 5-41.

Marshall, K. (2010). Change is coming. Are you ready? Recuperado em 16 de março, 2011, de http://www.ey.com/publication/vwluassetsdld/changeiscoming_bb2024_october2010/$file/changeiscoming_bb2024_october2010.pdf?OpenElement.

Martins, G. A. (2006). Estudo de caso: uma estratégia de pesquisa. São Paulo: Atlas.

______., & Theóphilo, C. R. (2007). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas.

Mihaela, S. C., Nicoleta, P. D., & Tudor, A. H. (2010). Controversial aspects regarding the accounting harmonization process in Romania. Harmonization, convergence or conformity? The Journal of Faculty of the Economics, 1(2), 899-905.

Miller, P. (1994). Accounting as social and institutional practice: an introduction. In: Hopwood, A. G., & Miller, P. (Eds). Accounting as social and institutional practice. Cambridge: Cambridge University Press. DOI: 10.1111/j.1467-6281.2005.00182.x

Mintzberg, H., & Westley, F. (1992). Cycles of organizational change. Strategic Management Journal, 13, 39-59. DOI: 10.1002/smj.4250130905

Neto, J. E. B, Dias, W.O, & Pinheiro, L. E. T (2009). Impacto da Convergência para as IFRS na Análise Financeira: um Estudo em Empresas Brasileiras de Capital Aberto. Revista Contabilidade Vista & Revista, 20(4), 131-153. Recuperado em 03/02/2015 , de http://web.face.ufmg.br/face/revista/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/719.

Nickel, D., & Coser, C. (2007). Mudança organizacional, aprendizagem e estresse: um estudo de caso numa IES. REGE - Revista de Gestão, 14(3), 91-106.

Oliveira, B., & Kovacs, E. (2006). Estrutura Organizacional e Estratégia: uma relação contingencial. In: XIII SIMPEP. Bauru, SP.

Oliveira, D. P. R. (2005). Sistemas, organizações e métodos: uma abordagem gerencial. 15a ed. São Paulo: Atlas.

Oliveira, V. A., & Lemes, S. (2011). Nível de convergência dos princípios contábeis brasileiros e norteamericanos às normas do IASB: uma contribuição para a adoção das IFRSs por empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Finanças, 22(56), 155-173. DOI: 10.1590/S1519-70772011000200003

Renders, A., & Gaeremynck, A. (2007). The impact of legal and voluntary investor protection on the early adoption of International Financial Reporting Standards (IFRS). Economist-Netherlands, 155(1), 49-72. DOI: 10.1007/s10645-006-9041-y

Robbins, S. P., & Decenzo, D.A. (2004). Fundamentos de administração: conceitos essenciais e aplicações. 4a ed. São Paulo: Prentice Hall.

Santos, E. S., Ponte, V. M. R., & Mapurunga, P. V. R. (2014). Adoção Obrigatória do IFRS no Brasil (2010): Índice de Conformidade das Empresas com a Divulgação Requerida e Alguns Fatores Explicativos. Revista de Contabilidade e Finanças, 25(65), 161-176. DOI: 10.1590/S1519-70772014000200006

Schein, E. (2007). Guia de sobrevivência da cultura corporativa. Rio de Janeiro: José Olympio.

Schipper, K. (2010). How can we measure the costs and benefits of changes in financial reporting standards? Accounting and Business Research, 40(3), 309-327. DOI: 10.1080/00014788.2010.9663406

Shetler, J. (2002). Complex adaptive systems, attractors, and patching: A complex systems science analysis of organizational change. Doctoral Dissertation, University of Texas at Austin, Texas, USA.

Shirley, R. (1974). Um modelo para mudança organizacional. Revista MSU Business Topics, 22(2), 37-43. DOI: 10.1590/S0034-75901976000600004

Silva, J., & Vergara, S. (2003). Sentimentos, subjetividade e supostas resistências à mudança organizacional. Revista de Administração de empresa, 43(3), 10-21. DOI: 10.1590/S0034-75902003000300002

Stoner, J.A.F., & Freeman, R. E. (1995). Administração. Rio de Janeiro: Prentice Hall do Brasil.

Stovall, D.C. (2010). Transition to IFRS: what can we learn? The Business Review, 16(1), 17-18.

Suzuki, T. (2007). Accountics: impacts of internationally standardized accounting on the Japanese socio-economy. Accounting, Organizations and Society, 32, 263-301. DOI: 10.1016/j.aos.2006.10.002

______. (2010). Unexplored impacts of IFRS. Recuperado em 12 de Agosto, 2010, de http://www.sbs.ox.ac.uk/research/accounting/Pages/UnexploredImpactsofIFRS.aspx.

Trabelsi, R. (2010). Evaluating international accounting harmonization in an emerging country. Accounting and Management Information Systems, 9(3), 354-378. DOI: http://dx.doi.org/10.1108/ijaim.2011.36619baa.017

Vieira, R.B. (2010). Impactos da implantação parcial das IFRS no Brasil: efeitos na qualidade das informações contábeis das empresas de capital aberto. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, Ribeirão Preto, SP, Brasil. DOI: 10.11606/D.96.2010.tde-10122010-160415

Whittington, R., Pettigrew, A., Peck, S., Fenton, E., & Conyon, M. (1999). Change and Complementarities in the New Competitive Landscape: A European Panel Study, 1992-1996. Organization Science, 10(5), 83-600. DOI: 10.1287/orsc.10.5.583

Wood, T. (2004). Mudança organizacional. São Paulo: Atlas.

. São Paulo: Atlas.

Downloads

Publicado

2017-12-09

Edição

Seção

Artigos