Análise do código de conduta das instituições financeiras da BM&FBovespa à luz das recomendações do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa

Aline Oliveira Araujo, Ariel Behr, Fernanda da Silva Momo

Resumo


O código de conduta e ética das organizações é um instrumento que objetiva estruturar políticas e normas claras em relação ao comprometimento com os diferentes stakeholders. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa é analisar a estrutura e conteúdo dos temas dos códigos de conduta das empresas do setor de atuação financeiro listadas na BM&FBovespa à luz das recomendações feitas pelo Instituto Brasileiro Governança Corporativa (IBGC). Quanto aos procedimentos metodológicos, esta pesquisa é classificada como quantitativa e qualitativa, descritiva e documental. No mês de abril de 2016, coletaram-se os códigos de conduta divulgados pelos 20 bancos listados no setor de atuação financeiro da BM&FBovespa em seus websites. Os resultados demonstram que, em relação à aderência dos códigos, os bancos têm um índice médio de 62% de adesão às recomendações feitas pelo IBGC. Assim, confirmou-se a hipótese da pesquisa de que houve aumento da aderência dos códigos ao longo dos últimos anos.


Palavras-chave


Código de conduta; Código de ética; Governança Corporativa

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A.; ROSSETTI, J. P. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 4. ed., São Paulo, Atlas, 2009.

ARRUDA, Maria Cecília Coutinho; WHITAKER, Maria do Carmo; RAMOS, José Maria Rodriguez. Fundamentos de Ética Empresarial e Econômica. 4. ed., São Paulo, Atlas, 2009.

BM&FBOVESPA. Relações com Investidores. Governança Corporativa. Estatutos, Códigos e Políticas. Política de Divulgação de Informações e Negociação de Valores Mobiliários. Manual das Políticas de Divulgação e Negociação de Valores Mobiliários. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20/10/2017

BRASIL Constituição (1988). Disponível em . Acesso em 10 out. 2017.

BRASIL Lei 5.452 de 1 de Maio de 1943. Dispõe sobre a Consolidação das Leis de Trabalho. Disponível em . Acesso em 02 out. 2017.

BRASIL Lei 6.514 de 22 de Dezembro de 1977. Dispõe sobre alterações no Capítulo V do Título II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo a segurança e medicina do trabalho e dá outras providências. Disponível em . Acesso em 02 out. 2017.

BRASIL. Lei 12.846 de 1 de Agosto de 2013. Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2017.

BRIDOUX, F.; STOELHORST, J. W. Microfoundations for stakeholder theory: Managing stakeholders with heterogeneous motives. Strategic Management Journal, v. 35, n. 1, p. 107-125, 2014. https://doi.org/10.1002/smj.2089

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA-CNJ. Nepotismo. Disponível em:. Acesso em: 12 out. 2017.

DAVIDSON, B. I.; STEVENS, D. E. Can a code of ethics improve manager behavior and investor confidence? An experimental study. The Accounting Review, v. 88, n. 1, p. 51-74, 2013. https://doi.org/10.2308/accr-50272

AZEVEDO, H. Código de Conduta: grau de adesão às recomendações do IBGC pelas empresas listadas na BM&FBovespa. 2010. 132 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração e Controladoria) – Curso de Pós-Graduação em Administração e Controladoria da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.

EISENHARDT, K. M. Agency theory: An assessment and review. Academy of Management, v. 14, n. 1, p. 57-74, 1989. https://doi.org/10.2307/258191

ERWIN, P. M. Corporate codes of conduct: the effects of code content and quality on ethical performance. Journal of Business Ethics, v. 99, n. 4, p. 535-548, 2011. https://doi.org/10.1007/s10551-010-0667-y

FREEMAN, R. E.; HARRISON, J. S.; WICKS, A. C. Managing for Stakeholders: Survival, Reputation, and Success. New Haven: Yale University Press. 2007.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE ÉTICA NOS NEGÓCIOS. Pesquisa código de ética corporativo 2014. Disponível em: < http://www.pesquisacodigodeetica.org.br>. Acesso em 15 out. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC). Código das melhores práticas de governança corporativa. 4. ed., São Paulo: IBGC, 2009.

ISO-International Organization for Standardization. Management standards ISO 1401:2015. Disponível em: . Acesso em 02 out. 2017.

LANGLOIS, C. C.; SCHLEGELMILCH, B. B. Do corporate codes of ethics reflect national character? Evidence from Europe and the United States. Journal of International Business Studies, v. 21, n. 4, p. 519-539, 1990.

MANUAL EMPREGADOR URBANO. Assédio Moral e Sexual Disponível em: . Acesso em 02 out. 2017.

OLIVEIRA, A. B. S. Métodos da Pesquisa Contábil. São Paulo: Atlas, 2011.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências Sociais. In: BEUREN, Ilse Maria (Org.) Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade: Teoria e Prática. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2013, p. 76-97.

SARTURI, G. Distribuição de valor para o stakeholder funcionário e desempenho organizacional. 2016. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

SCHWARTZ, M. The nature of the relationship between corporate codes of ethics and behaviour. Journal of Business Ethics, v. 32, n. 3, p. 247-262, 2001. https://doi.org/10.1023/A:1010787607771

SILVA, V.G.; GOMES, J.S. O uso do código de conduta ética como instrumento de controle gerencial: estudo de casos em empresas internacionalizadas. Revista Contemporânea em Contabilidade, v. 10, p. 111-127, 2008. http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2008v5n10p111

SIMONS, R. How new top managers use control systems as levers of strategic renewal. Strategic Management Journal, v. 15, n. 3, p. 169-189, 1994. https://doi.org/10.1002/smj.4250150301

SINGH, J. B. Determinants of the effectiveness of corporate codes of ethics: an empirical study. Journal of Business Ethics, v. 101, n. 3, p. 385-395, 2011. https://doi.org/10.1007/s10551-010-0727-3

SROUR, R. H. 2014. Ética empresarial. 4. ed., São Paulo, Atlas, p. 29

STEVENS, B. Corporate Ethical Codes: effective instruments for influencing behavior. Journal of Business Ethics, v. 78, n.4, p. 601-609, 2008. http://dx.doi.org/10.1007/s10551-007-9370-z

TEIXEIRA, E. B. A Análise de Dados na Pesquisa Científica: Importância e Desafios em Estudos Organizacionais. Revista Desenvolvimento em Questão, Ijuí, v. 1, n. 2, p. 177-201, 2003.

WHITAKER, M. C.; RAMOS, J. M. R. Ética e as linhas mestras do Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em: 23/10/2017




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n34p115



Locations of visitors to this page

Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, Brasil. ISSN (impresso)1807-1821 - ISSN (eletrônico) 2175-8069