Influência dos fatores estratégia, inovação e tecnologia nos custos da qualidade no arranjo produtivo local de confecções

Autores

  • Juliane Andressa Pavão Colegiado de Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Campus de Campo Mourão
  • Reinaldo Rodrigues Camacho Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Kelly Cristina Mucio Marques Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Maringá (UEM)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n34p3

Palavras-chave:

Custos da Qualidade, Teoria da Contingência, Indústria de confecções, Controle gerencial

Resumo

Este estudo investiga, sob a luz da teoria da contingência, a influência dos fatores contingenciais internos estratégia, tecnologia e inovação na ocorrência dos Custos da Qualidade (CQ). Avaliam-se também, os efeitos da ocorrência dos CQ no desempenho organizacional. A amostra envolveu 121 empresas do Arranjo Produtivo Local (APL) de confecções nos municípios de Maringá e Cianorte, Estado do Paraná. A estratégia de pesquisa adotada é o levantamento com coleta de dados por meio de questionário, cujos dados foram analisados diante da modelagem de equações estruturais. Os achados apontam que a ocorrência dos CQ não influencia o desempenho organizacional. Porém, a estratégia de diferenciação possui um efeito de redução na ocorrência dos custos de falhas internas e externas, além da estratégia de liderança em custos que incentiva que os custos com avaliação ocorram e restringe a ocorrência de custos com falhas tanto internas como externas. Constatou-se que a adoção de tecnologia de informação auxilia a ocorrência de custos de prevenção e a reduzir custos de falhas internas, bem como, a utilização de tecnologia de produção reduz os custos com devoluções e substituições de produtos. E ainda, a inovação dos processos apresentou um efeito negativo sobre os custos de falhas internas e externas.

Biografia do Autor

Juliane Andressa Pavão, Colegiado de Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) Campus de Campo Mourão

Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual de Maringá

Reinaldo Rodrigues Camacho, Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutor em Contabilidade e Controladoria pela Universidade de São Paulo

Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo, Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutora em Contabilidade e Controladoria pela Universidade de São Paulo

Kelly Cristina Mucio Marques, Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutora em Contabilidade e Controladoria pela Universidade de São Paulo

Referências

AGUIAR, Andson B.; FREZATTI, Fábio. Sistema de controle gerencial e contextos de processo de estratégia: contribuições da teoria da contingência. In: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. 2007.

AYRES, M. Cianorte aposta em conforto para vencer concorrência asiática. Maringá, Gazeta. (2012). Disponível em: <http://www.gazetadopovo.com.br/economia/especiais/potencialidades-parana/cianorte-aposta-em-conforto-para-vencer-concorrencia-asiatica-6wtb8e7kpgft4wk6d4ssuelou>. Acesso em 1 set. 2015.

BAINES, Annette; LANGFIELD-SMITH, Kim. Antecedents to management accounting change: a structural equation approach. Accounting, Organizations and Society, v. 28, n. 7, p. 675-698, 2003. DOI: 10.1016/S0361-3682(02)00102-2

BESSANT, John; TIDD, Joe. Inovação e empreendedorismo: administração. Porto Alegre: Bookman Editora, 2009.

BURNS, John; VAIVIO, Juhani. Management accounting change. Management Accounting Research, v. 12, n. 4, p. 389-402, 2001. DOI: 10.1006/mare.2001.0178

CADEZ, Simon; GUILDING, Chris. An exploratory investigation of an integrated contingency model of strategic management accounting. Accounting, Organizations and Society, v. 33, n. 7, p. 836-863, 2008. DOI: 10.1016/j.aos.2008.01.003

CHENHALL, Robert H. Management control systems design within its organizational context: findings from contingency-based research and directions for the future. Accounting, Organizations and Society, v. 28, n. 2, p. 127-168, 2003. DOI: 10.1016/S0361-3682(01)00027-7

COLLAZIOL, Elisandra. Custos da Qualidade: uma investigação da pratica e percepção empresarial. 2006. 138 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis)–Programa de Pós Graduação em Ciências Contábeis, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2006.

CORAL, Eliza. Avaliação e gerenciamento dos custos da não qualidade. 1996. 184 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)-Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção,. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1996.

COSTA, Ana Cristina Rodrigues da; ROCHA, Érico Rial Pinto da. Panorama da cadeia produtiva têxtil e de confecções e a questão da inovação. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 29, p. 159-202, 2009.

CRUZ, Ana Paula Capuano. Estilo de liderança, sistema de controle gerencial e inovação tecnológica: papel dos sistemas de crenças, interativo, diagnóstico e de restrições. 2014. 168 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. DOI: 10.11606/T.12.2014.tde-02062014-180339

DEMING, W. Edwards. Saia da crise. São Paulo: Futura, 2003.

DOBNI, C. Brooke. Measuring innovation culture in organizations: The development of a generalized innovation culture construct using exploratory factor analysis. European Journal of Innovation Management, v. 11, n. 4, p. 539-559, 2008. DOI: 10.1108/14601060810911156

DONALDSON, Lex. The contingency theory of organizations. Sage, 2001.

DONALDSON, Lex. Teoria da contingência estrutural. In S. Clegg, C. Hardy & W. Nord (Orgs.). Handbook de Estudos Organizacionais. (v. 1, c. 3, pp. 105-133), São Paulo: Atlas, 2008.

DRAZIN, Robert; VAN DE VEN, Andrew H. Alternative forms of fit in contingency theory. Administrative Science Quarterly, p. 514-539, 1985. DOI: 10.2307/2392695

ESPEJO, Márcia Maria dos Santos Bortolocci. Perfil dos atributos do sistema orçamentário sob a perspectiva contingencial: uma abordagem multivariada. 2008. 216 f. Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. DOI: 10.11606/T.12.2008.tde-30062008-141909

FEIGENBAUM, Armand V. Controle da qualidade total. v. 4. São Paulo: Makron Books, 1994.

FIEP. Industriais e trabalhadores da confecção se unem para frear demissões. 2015. Disponível em: <http://www.agenciafiep.com.br/noticia/industriais-e-trabalhadores-do-setor-textil-e-da-confeccao-se-unem-para-superar-crise-e-frear-demissoes/ >. Acesso em 1 set. 2015.

GARVIN, D. A. Gerenciando a qualidade: a visão estratégica e competitiva. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

GORDON, Lawrence A.; NARAYANAN, Vadake K. Management accounting systems, perceived environmental uncertainty and organization structure: an empirical investigation. Accounting, Organizations and Society, v. 9, n. 1, p. 33-47, 1984. DOI: 10.1016/0361-3682(84)90028-X

GUERRA, A. R. Arranjos entre fatores situacionais e sistemas de contabilidade gerencial sob a ótica da teoria da contingência. 2007. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

HAIR, Joseph F. et al. Análise multivariada de dados. Bookman Editora, 2009.

HANSEN, D. R.; MOWEN, M. M. Gestão de custos. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

HANSEN, Stephen C.; VAN DER STEDE, Wim A. Multiple facets of budgeting: an exploratory analysis. Management Accounting Research, v. 15, n. 4, p. 415-439, 2004. DOI: 10.1016/j.mar.2004.08.001

HYVÖNEN, Johanna. Strategy, performance measurement techniques and information technology of the firm and their links to organizational performance. Management Accounting Research, v. 18, n. 3, p. 343-366, 2007. DOI: 10.1016/j.mar.2007.02.001

JOHNSON, G.; SCHOLES, K.; WHITTINGTON, R. Explorando a estratégia corporativa. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.

JUNQUEIRA, Emanuel R. Perfil do sistema de controle gerencial sob a perspectiva da teoria da contingência. 2010. 147 f. Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. DOI: 10.11606/T.12.2010.tde-10052010-143511

JURAN, J. M. A qualidade desde o projeto: novos passos para o planejamento da qualidade em produtos e serviços. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

JURAN, J. M.; GRYNA, F. M., Jr. Quality planning and analysis: from product development through usage. New Delhi: McGraw-Hill, 1970.

LANGFIELD-SMITH, Kim. Management control systems and strategy: a critical review. Accounting, Organizations and Society, v. 22, n. 2, p. 207-232, 1997. DOI: 10.1016/S0361-3682(95)00040-2

MARÔCO, João. Análise de equações estruturais: fundamentos teóricos, software e aplicações. ReportNumber: Pêro Pinheiro, 2010.

NEITZKE, Ana Cláudia Afra. A coexistência de Apolo e Dionísio: influência da estratégia e do estilo de liderança no design e uso do orçamento sob a égide da teoria contingencial. 2015. 145 f. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015.

OLIVEIRA, Maria A.; CÂMARA, Márcia RG; BAPTISTA, Josil RV. O setor têxtil-confecções do Paraná e seus segmentos regionais especializados: 2000-2004. Revista de Economia, Editora UFPR, v. 33, n. 01, p. 83-115, 2007. DOI: 10.5380/re.v33i1.8548

PINTO, Leonardo José Seixas. Produção científica sobre custos da qualidade e da não qualidade no Brasil: um estudo bibliométrico nos principais livros, revistas acadêmicas e congressos na área de ciências contábeis. Registro Contábil, v. 3, n. 2, p. 60-74, 2012.

PORTER, Michael E. O que é estratégia. Harvard Business Review, v. 74, n. 6, p. 61-78, 1996.

PORTER, M. E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

RINGLE, Christian M.; DA SILVA, Dirceu; BIDO, Diógenes de Souza. Modelagem de equações estruturais com utilização do SmartPLS. REMark, v. 13, n. 2, p. 54, 2014. DOI: 10.5585/remark.v13i2.2717

ROBLES JUNIOR, Antonio. Custos da qualidade: aspectos econômicos da gestão da qualidade e da gestão ambiental. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

SÁ, V. M. R. de. Custo da qualidade nas indústrias de transformação de Pernambuco. 2003. 108 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção)-Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.

SAKURAI, M. Gerenciamento integrado de custos. São Paulo: Atlas, 1997.

SERRÃO, M. A. dos S. Avaliação para o desenvolvimento de competências de liderança e inovação numa empresa de TI: um estudo experimental. 2009. 44 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia dos Recursos Humanos)- Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal, 2009.

SMARTPLS. Standardized Root Mean Square Residual (SRMR).2016. Disponível em: <http://www.smartpls.de/documentation/srmr>. Acesso em 22 jan. 2016.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Gestão da inovação. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TIGRE, P. B. Gestão da inovação: a economia da tecnologia do Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

VAN DE VEN, Andrew H. Central problems in the management of innovation. Management Science, v. 32, n. 5, p. 590-607, 1986. DOI: 10.1287/mnsc.32.5.590

Downloads

Publicado

2018-03-28

Edição

Seção

Artigos