Fatores de governança corporativa e de estrutura de propriedade e suas influências nos honorários da auditoria independente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2019v16n39p3

Palavras-chave:

Honorários de Auditoria, Estrutura de Propriedade, Governança Corporativa

Resumo

O objetivo deste artigo foi investigar a influência da governança corporativa e estrutura de propriedade sobre os honorários da auditoria independente em empresas listadas na B3. A coleta de dados compreendeu o período de 2012 a 2014, e 214 firmas. Os resultados permitem inferir que existe relação entre fatores de governança corporativa e estrutura de propriedades com os honorários da auditoria independente. Conclui-se que governança corporativa e estrutura de propriedade influenciam os honorários da auditoria independente, onde empresas que possuem melhores práticas de governança geram mais controles para serem auditados, aumentando os custos com auditoria independente. Em contrapartida, empresas com um elevado grau de concentração de propriedade, caracterizadas por terem maior facilidade de existência de conflitos de agência, tendem a possuir menos controles, consequentemente com menos dados a serem auditados, sendo mais fácil para o acionista majoritário fazer prevalecer seu próprio interesse, diminuindo assim os custos com auditoria independente.

Biografia do Autor

Aline Rúbia Ferraz de Freitas

Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Raimundo Nonato Rodrigues, Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da UFPE

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela USP

Luiz Carlos Marques dos Anjos, Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da UFPE

Doutor em Ciências Contábeis pelo Programa Multi-institucional e Interregional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis UnB / UFPB / UFRN

Referências

ADELOPO, I.; JALLOW, K.; SCOTT, P. Multiple large ownership structure, audit committee activity and audit fees: Evidence from the UK. Journal of Applied Accounting Research, v. 13, n. 2, p.100 – 121, 2012doi.org/10.1108/09675421211254821

ALQASADI, A.; ABIDIN, S. The effectiveness of internal corporate governance and audit quality: the role of ownership concentration – Malaysian evidence. Corporate Governance, v. 18, n. 2, p. 233-253, 2018, DOI 10.1108/CG-02-2017-0043.

BERGAMINI JUNIOR, S. Controles Internos como um Instrumento de Governança Corporativa. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, v. 12, n. 24, p. 149-188, 2005.

BERLE, A.; MEANS, G. The Modern Corporation and Private Property. NewYork: Macmillan, 1932.

B3. (2009). Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros do Estado de São Paulo. Disponivel em: < http://www.bmfbovespa.com.br/home.aspx?idioma=pt-br > Acesso em: 06 de março de 2015

BORTOLON, P. M.; SARLO NETO, A. S.; SANTOS, T. B. Custos de Auditoria e Governança Corporativa. Revista Contabilidade & Finanças. – USP, São Paulo, v. 24, n. 61, p. 27-36, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000100004

BRIDGER, G. V. Governança Corporativa e os Efeitos da Adesão a Níveis Diferenciados de Governança sobre o Valor no Mercado de Capitais Brasileiro. Dissertação de Mestrado de Finanças FGV / EPGE, 2006.

CAIXE, D. F.; KRAUTER, E. A Influência da Estrutura de Propriedade e Controle sobre o Valor de Mercado Corporativo no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças. – USP, São Paulo, v. 24, n. 62, p. 142-153, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000200005

CARVALHO, A. G. Governança corporativa no Brasil em perspectiva. Revista de Administração, São Paulo v.37, n.3, p.19-32, 2002.

CASTRO, W. B. L.; PELEIAS, I. R.; SILVA, G. P. Determinantes dos Honorários de Auditoria: um Estudo nas Empresas Listadas na BM&FBOVESPA, Brasil. Revista Contabilidade & Finanças. – USP, São Paulo, v. 26, n. 69, p. 261-273, 2015. DOI: 10.1590/1808-057x201501560

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS – CVM. Instrução Normativa CVM nº480 de 7 de dezembro de 2009, (2009). disponível em: Acesso em: 02 de Março de 2015

CUNHA, P. R.; BRIGHENTI, J.; DEGENHART, L. Fatores influentes nos honorários de auditoria: Análise das empresas brasileiras listadas na BM&FBovespa. Pensar Contábil, Rio de Janeiro, v. 18, n. 65, p. 16- 27, 2016. https://doi.org/10.1111/1468-5957.00118

CUNHA, P. R.; RITTA, C. O.; TURRA, S. Relação entre os custos de serviços de auditoria externa e os indicadores de estrutura de capital. XVII Semead- seminário de Administração, 2014. Anais..., 2014.

DAMI, A. B. T.; ROGERS, P.; RIBEIRO, K. C. S.; SOUSA, A. F. Governança Corporativa e Estrutura de Propriedade no Brasil: Causas e Consequências. In: VI Encontro Brasileiro de Finanças, 2006, Vitória. Anais… 2006.

FIRTH, M. The Provision of Non‐audit Services and the Pricing of Audit Fees. Journal of Business Finance Accounting, v. 24, n. 3, p. 511-525, 1997. https://doi.org/10.1111/1468-5957.00118

FRANCIS, J. The effect of audit firm size on audit prices. Journal of Accounting and Economics. v. 6, n.2, p.133-151, 1984. https://doi.org/10.1016/0165-4101(84)90010-7

GONTHIER-BESACIER, N.; SCHATT, A. Determinants of audit fees for French quoted firms. Managerial Auditing Journal, v. 22, n. 2, p. 139-160, 2007. https://doi.org/10.1108/02686900710718654

GRIFFIN, P. A.; LONT, D. H.; SUN, E. Corporate Governante and Audit Fees: Evidence of Countervailing Relations. Journal of Contemporary Accounting & Economics. v. 4, n. 1, 2008. https://doi.org/10.1016/S1815-5669(10)70028-X

HAY, D.; KNECHEL, W. R.; LING, H. Evidence on the Impact of Internal Control and Corporate Governance on Audit Fees. International Journal of Auditing, v. 12, n. 1, p. 9-24, 2008. https://doi.org/10.1111/j.1099-1123.2008.00367.x

HALLAK, R. T. P.; SILVA, A. L. C. Determinantes das Despesas com Serviços de Auditoria e Consultoria Prestados pelo Auditor Independente no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças. – USP, São Paulo, v. 23, n. 60, p. 223-231, 2012. https://doi.org/10.1590/S1519-70772012000300007

HARAHAP, J. O.; PRASETYO, A. B. Ownership structures and characteristics influence on audit fee. Journal of Economics, Finance and Accounting. v. 5, n. 2, p. 160-167, 2018. DOI: 10.17261/Pressacademia.2018.822

HASSAN, M.; HASSAN, S.; IQBAL, A.; KHAN, M. F. A. Impact of Corporate Governance on Audit Fee: Empirical Evidence from Pakistan. World Applied Sciences Journal, v.30, n. 5, p. 645-651, 2014. DOI: 10.5829/idosi.wasj.2014.30.05.14093

ITO, E. Y. H.; NIYAMA, J. K.; MENDES, P. C. M. Controle de Qualidade dos Serviços de Auditoria Independente: Um Estudo Comparativo entre as Normas Brasileiras e as Normas Internacionais. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 11, n. 1-2, 2008. DOI: 10.5829/idosi.wasj.2014.30.05.14093

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA - IBGC. Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa. 4. ed. São Paulo: IBGC, 2009.

JARAMILLO, M. J.; BENAU, M. A. G.; GRIMA, A. Z. Factores que determinan los honorarios de auditoría: Análisis empírico para México. Revista Venezolana de Gerencia, v.17, n. 59, p. 387-406, 2012.

JOSHI, P. L.; AL-BASTAKI, H. Determinants of audit fees: Evidence from the Companies Listed in Bahrain. International Journal of Auditing. v. 4, n. 2, p. 129-138, 2000. https://doi.org/10.1111/1099-1123.00308

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics. v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976. https://doi.org/10.1016/0304-405X(76)90026-X

LA PORTA, R.; LOPEZ-DE-SILANES, F.; SHLEIFER, A.; VISHNY, R. Law and finance. Journal of Political Economy, v. 106, 1998.

LA PORTA, R.; SHLEIFER, A.; LOPEZ-DE-SILANES, F.; VISHNY, R. Investor protection and corporate governance. Journal of Financial Economics. v. 58, p. 3-27, 2000. https://doi.org/10.1016/S0304-405X(00)00065-9

LAMEIRA, V. DE J.; NESS JUNIOR, W. L.; MACEDO-SOARES, T. D. L. VAN A. Governança corporativa: impactos no valor das companhias abertas brasileiras. R.Adm., São Paulo, v.42, n.1, p.64-73, 2007. https://doi.org/10.1590/S0080-21072007000100006

NASER, K.; NUSEIBEH, R. Determinants of audit fees: empirical evidence from an emerging economy. International Journal of Commerce and Management, v. 17, n. 3, p. 239-254, 2007.

NICHOLS, D.; SMITH, D. Auditor credibility and auditor changes. Journal of Accounting Research, v. 21, n. 2, 534-544, 1983. DOI: 10.2307/2490789

ORGANIZATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. OECD. Principles of corporate governance. Paris, 1999.

O’SULLIVAN, N. The Impact of board composition and ownwership on audit quality: Evidence from large UK companies. British Accounting Review. v. 32, p. 397–414, 2000. https://doi.org/10.1006/bare.2000.0139

SHLEIFER, A.; VISHNY, R. W. A survey of corporate governance. Journal of Finance. v. 52, n. 2, p. 737–783, 1997. https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1997.tb04820.x

SILVA, A. G.; ROBLES JUNIOR, A. Os impactos na atividade de auditoria independente com a introdução da Lei Sarbanes-Oxley. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v.19, n. 48, p. 112-127, 2008. https://doi.org/10.1590/S1519-70772008000300010

VOGT, M.; LEITE, M.; CUNHA, R. P.; SANTOS, V. Relação entre honorários de auditoria e de honorários de não auditoria com o desempenho econômico de empresas listadas na BM&FBOVESPA, Contabilidad y Negocios, v.10, n. 19, p. 67-84, 2015.

WATTS, R.; ZIMMERMAN, J. Positive accounting theory. New Jersey: Prentice Hall, 1986.

Downloads

Publicado

2019-10-21

Edição

Seção

Artigos