Estrutura de capital e custo de capital subsidiado no Brasil: influência no valor das ações das empresas

Anderson Fioresi, Fernando Caio Galdi

Resumo


Grande parte do financiamento de longo prazo no Brasil é realizada por intermédio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Comparado às outras alternativas do mercado este crédito é mais barato por ser subsidiado pelo governo. A presente pesquisa teve como intuito investigar se a captação de recursos com custo de capital subsidiado por meio de linhas de financiamento diferenciadas ofertadas pelo BNDES exerce influência no valor da empresa. O estudo foi desenvolvido com a utilização da metodologia estudo de eventos, que calcula os retornos anormais ocorridos ao redor de um determinado evento. A amostra deste estudo considera empresas listadas na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBOVESPA) que contrataram crédito junto ao BNDES de 2002 a 2015. Para o cálculo do retorno anormal foram usados dois modelos de estimação dos retornos anormais: o Modelo CAPM e o Modelo de Mercado. Os resultados indicam que a média dos retornos anormais das empresas que contrataram crédito junto ao BNDES é significativamente diferente de zero em torno da data do anúncio da contratação podendo-se concluir que a captação de recursos com custo subsidiado possui conteúdo informacional suficiente para influenciar o valor da empresa, confirmando a teoria do tradeoff das fontes de capital e a hipótese desta pesquisa.


Palavras-chave


BNDES; Custo subsidiado; Estrutura de capital; Mercado eficiente; Valor da empresa

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANEZ, T. et al. Fatores institucionais e assimetria informacional: influência na estrutura de capital de empresas brasileiras. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 13, n. 2, p. 76–105, 2012. DOI: 10.1590/S1678-69712012000200004

BACHILLER, J. V. Das Privatizações à Nova Estratégia de Desenvolvimento. A Trajetória do BNDES entre 1990 e 2010. Desenvolvimento em Questão, v. 14, n. 36, 2016. DOI: 10.21527/2237-6453.2016.36.5-30

BARBOSA, G. DE C.; MEDEIROS, O. R. DE. Teste empírico da eficiência do mercado brasileiro na ocorrência de eventos favoráveis e desfavoráveis. 2007.

BARTHOLDY, J; OLSON, D.; PEARE, P. Conducting event studies on a small stock exchange. The European Journal of Finance, v. 13, n. 3, p. 227–252, 2007. DOI: 10.1080/13518470600880176

BASTOS, D.; NAKAMURA, W. T. Determinantes da estrutura de capital das companhias abertas no Brasil, México e Chile no período 2001-2006. Revista Contabilidade & Finanças-USP, v. 20, n. 50, 2009. DOI: 10.1590/S1519-70772009000200006

BROWN, S. J.; WARNER, J. B. Measuring security price performance. Journal of Financial Economics, v. 8, n. 3, p. 205–258, 1980. DOI: 10.1016/0304-405X(80)90002-1

______. Using daily stock returns: The case of event studies. Journal of Financial Economics, v. 14, n. 1, p. 3–31, 1985. DOI: 10.1016/0304-405X(85)90042-X

CAMARGOS, M. A. de; BARBOSA, F. V. Estudos de Evento: teoria e operacionalização. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 10, n. 3, p. 01-20, 2003.

______. Eficiência informacional do mercado de capitais brasileiro pós-Plano Real: um estudo de eventos dos anúncios de fusões e aquisições. Revista de Administração-RAUSP, v. 41, n. 1, 2006.

______. Eficiência informacional do mercado de capitais brasileiro em anúncios de fusões e aquisições. Production, v. 25, n. 3, p. 571–584, 2015. DOI: 10.1590/0103-6513.0148T6

COPELAND, T. E.; WESTON J. F.; Shastri, K. Financial theory and corporate policy. Reading, Mass.: Addison-Wesley, 1983.

CORREA, C. A.; BASSO, L. F. C.; NAKAMURA, W. T. A estrutura de capital das maiores empresas brasileiras: análise empírica das teorias de pecking order e trade-off, usando panel data. Revista de Administração Mackenzie, v. 14, n. 4, 2013. DOI: 10.1590/S1678-69712013000400005

FAMA, E. F. Efficient capital markets: A review of theory and empirical work. The Journal of Finance, v. 25, n. 2, p. 383–417, 1970. DOI: 10.2307/2325486

FAMÁ, R.; GRAVA, J. W. Teoria da estrutura de capital–as discussões persistem. Caderno de pesquisas em administração, v. 1, n. 11, p. 27–36, 2000.

FERRAZ, J. C. et al. O BNDES e o financiamento do desenvolvimento. Revista USP, n. 93, p. 69–80, 2012. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.v0i93p69-80

GABRIEL, F. S.; RIBEIRO, R. B.; RIBEIRO, K. C. de S. Hipóteses de mercado eficiente: um estudo de eventos a partir da redução do IPI. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 3, n. 1, p. 36, 2013.

GAIO, L. E.; FREITAS ALVES, K. L. DE; PIMENTA JÚNIOR, T. O mercado acionário brasileiro do novo milênio: um teste de eficiência. BBR-Brazilian Business Review, v. 6, n. 3, 2009.

GRINBLATT, Mark; TITMAN, Sheridan. Mercados financeiros & estratégia corporativa. Bookman Editora, 2016.

GRZEBIELUCKAS, C. et al. A estrutura de capital e a performance das firmas: uma análise empírica em companhias abertas no Brasil. REBRAE, v. 1, n. 1, p. 73–88, 2017. DOI: 10.7213/rebrae.v1i1.13316

HARRIS, M.; RAVIV, A. The theory of capital structure. The Journal of Finance, v. 46, n. 1, p. 297–355, 1991. DOI: 10.1111/j.1540-6261.1991.tb03753.x

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, v. 3, n. 4, p. 305–360, 1976. DOI: 10.1016/0304-405x(76)90026-x

KOTHARI, S. P.; WARNER, J. B. Econometrics of Event Studies, Handbook of Corporate Finance: Empirical Corporate Finance (Handbooks in Finance Series, Elsevier/North-Holland), B. Espen Eckbo (ed.), 2005. DOI: 10.1016/B978-0-444-53265-7.50015-9

KRASNER, S. D. Power structures and regional development banks. International organization, v. 35, n. 2, p. 303–328, 1981. DOI: 10.1017/s0020818300032458

KUDLAWICZ, C.; SENFF, C. O.; BACH, T. M. O Desempenho Econômico e a Estrutura de Capital: Empresas Brasileiras a Luz da Fronteira de Eficiência. Revista de Globalización, Competitividad y Gobernabilidad, v. 9, n. 3, p. 40, 2015. DOI: 10.3232/GCG.2015.V9.N3.02

LOCATELLI, R. L.; NASSER, J.; MESQUITA, J. M. de C. Fatores determinantes da estrutura de capital no agronegócio: o caso das empresas brasileiras. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 17, n. 1, 2015.

MACKINLAY, A. Craig. Event studies in economics and finance. Journal of economic literature, v. 35, n. 1, p. 13-39, 1997.

MALAQUIAS, R. F.; EID JUNIOR, W. Eficiência de mercado e desempenho de fundos multimercados. Revista Brasileira de Finanças, v. 11, n. 1, 2013.

MODIGLIANI, F.; MILLER, M. H. The cost of capital, corporation finance and the theory of investment. The American economic review, v. 48, n. 3, p. 261–297, 1958.

MURCIA, F. C. de S.; MURCIA, F. Dal-Ri; BORBA, J. A. The Informational Content of Credit Ratings in Brazil: An Event Study. Revista Brasileira de Finanças, v. 11, n. 4, 2013.

MYERS, S. C. The capital structure puzzle. The Journal of Finance, v. 39, n. 3, p. 574–592, 1984. DOI: 10.3386/w1393

______. Capital structure. Journal of Economic Perspectives, v. 15, n. 2, p. 81-102, 2001. DOI: 10.1257/jep.15.2.81

PEIXOTO, F. M. et al. Custo de capital, endividamento e sustentabilidade empresarial: um estudo no mercado de capitais brasileiro no período de 2009 a 2013. RACE-Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 15, n. 1, p. 39–66, 2016. DOI: 10.18593/race.v15i1.6281

PRATES, D. M.; CINTRA, M. A. M.; FREITAS, M. C. P. O papel desempenhado pelo BNDES e diferentes iniciativas de expansão do financiamento de longo prazo no Brasil dos anos 90. Economia e Sociedade, v. 9, n. 2, p. 85–116, 2000.

PROCIANOY, J. L.; ANTUNES, M. A. Os efeitos das decisões de investimento das empresas sobre os preços de suas ações no mercado de capitais. In: ENANPAD, 25., p. 163–83, 2001. Anais…, 2001.

RAJAN, R. G.; ZINGALES, L. What do we know about capital structure? Some evidence from international data. The Journal of Finance, v. 50, n. 5, p. 1421-1460, 1995. DOI: 10.3386/w4875

SALINGER, M. Value Event Studies. The Review of Economics and Statistics, v. 74, n. 4, p. 671–677, 1992. DOI: 10.2307/2109381

SCHAPIRO, M. G. Novos parâmetros para a intervenção do Estado na economia: persistência e dinâmica da atuação do BNDES em uma economia baseada no conhecimento. [s.l.] Universidade de São Paulo, 2009. DOI: 10.11606/t.2.2009.tde-19022010-152023

SILVA BRITO, G. A.; CORRAR, L. J.; BATISTELLA, F. D. Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças-USP, v. 18, n. 43, 2007. DOI: 10.1590/s1519-70772007000100002

TARANTIN JUNIOR, Wilson; VALLE, Maurício R. do. Estrutura de capital: o papel das fontes de financiamento nas quais companhias abertas brasileiras se baseiam. Revista Contabilidade & Finanças, v. 26, n. 69, p. 331–344, 2015. DOI: 10.1590/1808-057x201512130

TITMAN, Sheridan. The effect of capital structure on a firm's liquidation decision. Journal of financial economics, v. 13, n. 1, p. 137-151, 1984. DOI: 10.1016/0304-405x(84)90035-7

______; WESSELS, Roberto. The determinants of capital structure choice. The Journal of Finance, v. 43, n. 1, p. 1-19, 1988. DOI: 10.2307/2328319

TORRES FILHO, E. T.; COSTA, F. N. BNDES e o financiamento do desenvolvimento. Economia e Sociedade, v. 21, n. 4, p. 975–1009, 2011. DOI: 10.1590/s0104-06182012000400011

VALLE, M. R. do. Estrutura de capital de empresas brasileiras num ambiente de altas taxas de juros e na presença de fontes diferenciadas de financiamento. [s.l.] Universidade de São Paulo, 2008.

VALLE, M. R.; ALBANEZ, T. Juros altos, fontes de financiamento e estrutura de capital: o endividamento de empresas brasileiras no período 1997-2006. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 6, n. 16, 2012. DOI: 10.11606/rco.v6i16.52667




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2018v15n34p42



Locations of visitors to this page

Revista Contemporânea de Contabilidade, Florianópolis, Brasil. ISSN (impresso)1807-1821 - ISSN (eletrônico) 2175-8069