Revisitando pressupostos metodológicos no uso da análise de conteúdo, discurso, conversação e narrativas em contabilidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2021.e77001

Palavras-chave:

Análise de Conteúdo, Análise do Discurso, Análise de Conversação, Análise Narrativa

Resumo

O estudo teve por objetivo revisitar pressupostos metodológicos e propor uma agenda de pesquisa, elaborada nos moldes de um manual que poderá auxiliar na aplicação de determinadas técnicas de pesquisa na área contábil. Assim, contemplamos no estudo diferentes técnicas de análise e interpretação de texto, comumente utilizadas nas pesquisas qualitativas: análise de conteúdo, análise de discurso, análise de conversação e análise de narrativas. Para cada uma dessas técnicas, além de aspectos conceituais que facilitem a aplicação, são apresentados estudos nacionais e internacionais na área contábil que aplicaram tais técnicas. Citamos os principais elementos que diferenciam as técnicas, apresentando sugestões de aplicação da técnica em diferentes contextos, tendo por base os estudos já realizados e apresentados na presente pequisa. É importante ter em mente que a seleção e o uso coerente das técnicas de análise de dados qualitativas são fundamentais para a qualidade das pesquisas.

Biografia do Autor

Caroline Sulzbach Pletsch, Unversidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutoranda em Ciências Contábeis (FURB)

Professora da Graduação em Ciências Contábeis (UDESC), Ibirama/SC, Brasil

Mara Vogt, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutora em Ciências Contábeis (FURB)

Professora Substituta da Graduação em Ciências Contábeis (UFSC), Florianópolis/SC, Brasil

 

Marcia Zanievicz da Silva, Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Doutora em Ciências Contábeis (FURB)

Professora da Graduação e Pós-Graduação em Ciências Contábeis (FURB), Blumenau/SC, Brasil

Jonas Cardona Venturini, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutor em Administração (UFRGS), Porto Alegre/RS, Brasil

Referências

Abdalla, M. M., & Altaf, J. G. (2018). Análise Crítica do Discurso em Administração/Gestão: sistematização de um framework metodológico. Revista ADM. MADE, 22(2), 35-47. http://dx.doi.org/10.21714/2237-51392018v22n2p035047

Arminen, I. (1999). Conversation Analysis: A Quest for Order in Social Interaction and Language Use. Acta Sociologica, 42(3), 251-257. https://doi.org/10.1177/000169939904200305

Barbosa, E. T. (2017). Mulheres no Conselho Regional de Contabilidade da Paraíba: uma análise à luz da teoria do poder simbólico de Bourdieu. Dissertação de Mestrado, Universidade Regional de Blumenau, Blumenau.

Bastos, L. C., & Biar, L. A. (2015). Análise de narrativa e práticas de entendimento da vida social. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, 31(4). http://dx.doi.org/10.1590/0102-445083363903760077

Bauer, M. W., & Gaskell, G. (2015). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: um manual prático. 13. ed. Petrópolis: Vozes.

Beattie, V. (2014). Accounting narratives and the narrative turn in accounting research: Issues, theory, methodology, methods and a research framework. The British Accounting Review, 46(2), 111-134. https://doi.org/10.1016/j.bar.2014.05.001

Blonkoski, P. R., Antonelli, R. A., & Bortoluzzi, S. C. (2017). Contabilidade gerencial: análise bibliométrica e sistêmica da literatura científica internacional. Revista Pretexto, 80-99. DOI: https://doi.org/10.21714/pretexto.v18i1.2857

Bourdieu, P., Chamboredon, J.-C., & Passeron, J.-C. (2015). Ofício de Sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. 8. ed. Petrópolis: Vozes.

Borges, M. L., & Gonçalo, C. R. (2010) Contribuições da Análise da Conversa aos Estudos Organizacionais. Anais do Congresso EnEO. Florianópolis, SC, Brasil.

Clifton, J. (2006). A conversation analytical approach to business communication: The case of leadership. The Journal of Business Communication, 43(3), 202-219. https://doi.org/10.1177/0021943606288190

Creswell, J. W. (2010) Projeto de Pesquisa: Métodos Qualitativo, Quantitativo e Misto. 3 ed. Porto Alegre: Artmed.

Denzin, N. K., & Lincoln, Y. S. (2006). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Artmed.

Dornelles, O. M., & Sauerbronn, F. F. (2019). Narrativas: Definição e Aplicações em Contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 14(4), 19-37. https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v14i4.27082

Elliot, J. (2005). Using Narrative in Social Research: Qualitative and Quantitative Approaches. London: SAGE Publications.

Ferreira, R. M., de Lima, S. L. L., Gomes, A. R. V., & de Mello, G. R. (2019). Governança Corporativa: um estudo bibliométrico da produção científica entre 2010 a 2016. Revista Organizações em Contexto, 15(29), 323-342. DOI: https://doi.org/10.15603/1982-8756/roc.v15n29p323-342

Flick, U. (2009). Introdução à Pesquisa Qualitativa. 3 ed. Porto Alegre: ARTMED.

Flick, U. (2013). Introdução à metodologia de pesquisa: um guia para iniciantes. São Paulo: Penso Editora.

Gabriel, Y. (2004). Narratives, stories, texts. In: Grant, D., Hardy, C., Oswick, C., & Putnam L. L. (Eds.).The Sage Handbook of Organizational Discourse, 61-79, London: Sage.

Gibbs, G. (2009). Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 198 p.

Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, 35(2), 57-63. https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000200008

Godoi, C. K. (2010). Perspectivas de análise do discurso nos estudos organizacionais. In: Silva, A. B., Godoi, C.K., & Bandeira-de-Mello, R. Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos. 2 ed. São Paulo: Saraiva.

Grande, J. F., & Beuren, I. (2011). Mudanças de práticas de contabilidade gerencial: aplicação da análise de discurso crítica no relatório da administração de empresa familiar. Revista Base (Administração e Contabilidade) da UNISINOS, 8(2), 133-145. https://doi.org/10.4013/base.2011.82.03

Higgins, C., & Coffey, B. (2016). Improving how sustainability reports drive change: a critical discourse analysis. Journal of Cleaner Production, 136, 18-29. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2016.01.101

Krippendorff, K. (2018). Content analysis: An introduction to its methodology. Sage.

Lavarda, R. A. B., & Lavarda, C. E. F. (2015). Gestão do trabalho: desenho organizacional, processo estratégico e tipos de trabalho. Cadernos EBAPE. BR, 14(2), 293-309. http://dx.doi.org/10.1590/1679-3955118595.

Lee, B., & Humphrey, C. (2006). More than a numbers game: qualitative research in accounting. Management Decision, 44 (2), 180-197. https://doi.org/10.1108/00251740610650184

Lourenço, R. L., & Sauerbronn, F. F. (2016). Revistando possibilidades epistemológicas em contabilidade gerencial: em busca de contribuições de abordagens interpretativas e críticas no Brasil. Revista Contemporânea de Contabilidade, 13(28), 99-122. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2016v13n28p99

Marcuschi, L. A. (2003) Análise de Conversação. 5. ed. São Paulo: Ática.

Martins, G. A., & Theóphilo, C. R. (2016). Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 3 ed. São Paulo: Atlas.

Mazzioni, S., Gubiani, C. A., Folletto, E. P., & Kruger, S. D. (2015). Governança Corporativa: análise bibliométrica do período de 2000 a 2012. REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade, 5(1), 1-20. https://doi.org/10.18696/reunir.v5i1.204

Mayring, P. (2000). Qualitative Content Analysis. Forum: Qualitative Social Research. 1(2).

Minayo, M. C. D. S., & Sanches, O. (1993). Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade?. Cadernos de saúde pública, 9(3), 237-248. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1993000300002

Miranda, V. L., & Faria, J. A. (2016). Caricaturas e estereótipos do contador: Como a imagem do profissional de contabilidade vem sendo veiculada em um jornal de grande circulação no Brasil?. RACE-Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 15(3), 1087-1116. http://dx.doi.org/10.18593/race.v15i3.9807

Nielsen, M. F. (2009). Interpretative management in business meetings: Understanding managers' interactional strategies through conversation analysis. The Journal of Business Communication (1973), 46(1), 23-56. https://doi.org/10.1177/0021943608325752

Orlandi, E. (2014). Análisis de Discurso: Principios y procedimientos. 2 ed. Santiago: LOM Ediciones.

Orlandi, E. P. (2001). Discurso e Texto: formação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes.

Orlandi, E. P. (1996). Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes.

Orobia, L. A., Byabashaija, W., Munene, J. C., Sejjaaka, S. K., & Musinguzi, D. (2013). How do small business owners manage working capital in an emerging economy? A qualitative inquiry. Qualitative Research in Accounting & Management, 10(2), 127-143. https://doi.org/10.1108/QRAM-02-2012-0008

Paiva, V. L. M. D. O. (2008). A pesquisa narrativa: uma introdução. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, 8(2), 261-266. https://doi.org/10.1590/S1984-63982008000200001

Parker, I., & Burman, E. (1993). Against discursive imperialism, empiricism, and constructionism: Thirty-two problems with discourse analysis. Discourse analytic research: Repertoires and readings of texts in action, 155-172.

Passuello, C., & Ostermann, A. C. (2007). Aplicação da análise da conversa etnometodológica em entrevista de seleção: considerações sobre o gerenciamento de impressões. Estudos de Psicologia, 12(3), 243-251. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2007000300006

Pereira, R. C. M., Constantino, F. D. F. S., Sauerbronn, F. F., & Macedo, M. A. S. (2019). Pesquisa qualitativa em contabilidade: um panorama de sua evolução no congresso ANPCONT à luz da literatura internacional. Revista Contemporânea de Contabilidade, 16(41), 204-224. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2019v16n41p204

Phillips, N., & Hardy, C. (2002). Discourse Analysis: Investigating Processes of Social Construction. London: Sage Pub.

Pinheiro, A. S., Carrieri, A. D. P., & Joaquim, N. F. (2013). Esquadrinhando a Governança Corporativa: o Comportamento dos Personagens sob o Ponto de Vista dos Discursos dos Autores Acadêmicos. Revista Contabilidade & Finanças-USP, 24(63). https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000300006

Pinto, I. M. B. S. (2016). Competências em negócios sociais: análise de narrativas das experiências de um grupo de empreendedores do Estado de Alagoas. Tese de Doutorado, Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

Pontes, E. S., Silva, R. B., Cabral, A. C., Santos, S. M., & Pessoa, M. N. M. (2017). Produção Acadêmica Nacional em Contabilidade: Análise das Teses e Dissertações Produzidas entre 2007 e 2016. REAd-Revista Eletrônica de Administração, 23(3), 239-258. http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.167.62419

Raffaelli, S. C. D., Espejo, M. M. S. B., & Portulhak, H. (2016). A imagem do profissional contábil: análise da percepção socialmente construída por estudantes de ciências econômicas. Revista Contemporânea de Contabilidade, 13(29), 157-178. http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2016v13n29p157

Reis, D. G., & Antonello, C. S. (2006). Ambiente de mudanças e aprendizagem nas organizações: contribuições da análise da narrativa. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, 4(2), 176-193.

Ribeiro, H. C. M., Machado Junior, C., de Souza, M. T. S., Campanário, M. A., & Corrêa, R. (2012). Governança corporativa: um estudo bibliométrico da produção científica das dissertações e teses brasileiras. Journal of Accounting, Management and Governance, 15(3).

Santos, C. J. S., Wickboldt, L. A., & Holanda, F. M. A. (2018). Contabilidade Gerencial e suas Categorias: Um Estudo Bibliométrico nos Trabalhos da Base Scopus® entre 2008 e 2016. Revista de Auditoria, Governança e Contabilidade - RAGC, 6(24).

Schiavini, J. M., & Garrido, I. (2018). Análise de Conteúdo, Discurso ou Conversa? Similaridades e Diferenças entre os Métodos de Análise Qualitativa. Revista ADM. MADE, 22(2), 01-12.: http://dx.doi.org/10.21714/2237-51392018v22n2p001012

Silva, C. R., Andrade, D. N. P., & Ostermann, A. C. (2009). Análise da Conversa: uma breve introdução. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, 7(13), 1-21.

Souza, A. A. & Passolongo, C. (2005). Avaliação de Sistemas de Informações Contábeis: Estudo de casos múltiplos. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, 8(2), 177-205.

Publicado

2021-07-20

Como Citar

Pletsch, C. S., Vogt, M., Silva, M. Z. da, & Venturini, J. C. (2021). Revisitando pressupostos metodológicos no uso da análise de conteúdo, discurso, conversação e narrativas em contabilidade. Revista Contemporânea De Contabilidade, 18(48), 89-104. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2021.e77001

Edição

Seção

Artigos