Efeitos da terceirização sobre os custos: estimação da conversão de custos fixos em variáveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8069.2021.e79200

Resumo

O objetivo deste trabalho é avaliar os impactos dos processos de terceirização nos custos fixos e variáveis. Para isso formulou-se um modelo econométrico que captasse os custos fixos, as variáveis e suas alterações, a partir de terceirizações ocorridas, e aplicou-se em uma instituição de ensino superior, localizada na região Sul do Brasil. Os dados coletados incluíram o custo total, a quantidade de créditos contratados, os semestres de início da terceirização e os setores terceirizados. O período analisado foi de 1995 a 2017. Os resultados obtidos  revelaram que as terceirizações de fato conduziram a uma redução dos custos fixos e a uma ampliação dos custos variáveis. Verificou-se também que os custos fixos se reduziram de forma mais intensa do que a ampliação dos custos variáveis, ao longo do tempo, indicando que as terceirizações geraram redução de custos e que há ganhos de aprendizado e gestão nos processos de terceirização.

Biografia do Autor

Leandra da Silva, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Doutoranda em Ciências Contábeis (UNISINOS)

Tiago Wickstrom Alves, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Doutor em Economia (UFRGS)

Professor no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (UNISINOS)

Alexsandro Marian Carvalho, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Doutor em Física (UFRGS)

Professor no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (UNISINOS)

Referências

Alves, S. M. P., Coelho, M. C. R, Borges, L. H., Cruz, C. A. M, Massaroni, & L. Maciel, P. M. A. M. (2015). A flexibilização das relações de trabalho na saúde: a realidade de um Hospital Universitário Federal. Ciência & Saúde Coletiva, 20(10), 3043-3050. https://doi.org/10.1590/1413-812320152010.11592014

Arima, C. H., Tonini, A. C., & Capezzutti, D. (2002, outubro). Decisão sobre terceirização em função da aplicação de custeio ABC. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, São Paulo, SP, Brasil, 9. Recuperado em 20 de julho de 2018, de https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/viewFile/2714/2714

Atkinson, A.A., Banker, R.D., Kaplan, R.S., & Young, S.M. (2000). Contabilidade gerencial. Tradução André Olímpio Mosselman Du Chenoy Castro. São Paulo: Atlas.

Bacic, M. J., & Souza, M. C. A. F. (1997, novembro). Por que os programas de terceirização falham? Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Estratégica de Custos, Belo Horizonte, MG, Brasil, 4. Recuperado em 20 de julho de 2018, de https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/3353

Bacic, M. J., & Souza, M. C. A. F. (2002). Algumas reflexões quanto às decisões de terceirização considerando o custeio variável e o contexto relacional e estratégico. In: Anais do Congresso Brasileiro de Custos, 9. São Paulo, São Paulo.Brasil. Recuperado em 06 de março de 2019, de https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/2763

Barbosa, A. M. S. (2010). A naturalização da identidade social precarizada na indústria do alumínio primário paraense. Sociologias, 12(23), 268-303. https://doi.org/10.1590/S1517-45222010000100010.

Besanko, D., Ranove. D.D., Shanley, M., & Schaefer, S. (2006). A economia da estratégia. 3. ed. São Paulo: Artmed.

Brasil, H. G. (1993). A empresa e a estratégia da terceirização. Revista de Administração de Empresas, 33(2), 611-618. https://doi.org/10.1590/S0034-75901993000200002

Brown, M. B., & Forsythe, A. B. (1974). Robust tests for equality of variances. Journal of the American Statistical Association, 69(346), 364-367. https://doi.org/10.2307/2285659

Bryce, D. J., & Useem, M. (1998). The impact of corporate outsourcing on company value. European Management Journal, 16(6), 635-643. https://doi.org/10.1016/S0263-2373(98)00040-1

Cohen, S., & Roussel, J. (2013) Strategic supply chain management: the five core disciplines for top performance (2a ed.) New York: McGraw-Hill.

Costa, F. (2003). Outsourcing estratégico: uma nova perspectiva. Revista de Administração Pública, 37(1), 99-132. Recuperado em 10 de março de 2019, de http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6478.

Davenport, T. H. (2005) The coming commoditization of processes. Harvard Business Review, 83(6), 100-108. Recuperado em 22 de julho de 2018, de https://hbr.org/2005/06/the-coming-commoditization-of-processes

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos [DIEESE] (2017). O processo de terceirização e seus efeitos sobre os trabalhadores no Brasil. Recuperado em 20 de julho de 2018, https://www.dieese.org.br/relatoriotecnico/2007/terceirizacao.pdf

Domberger, S., & Fernandez, P. (1999). Public-private partnerships for service delivery. Business Strategy Review, 10(4), 29-39. https://doi.org/10.1111/1467-8616.00117

Druck, G., & Franco, Tânia. (2008). A Terceirização no Brasil: velho e novo fenômeno. Laboreal, 4(2). https://doi.org/10.4000/laboreal.11413

Ferruzzi, M. A., Spers, E. E., Sacomano, M. Neto, & Ponchio, M. C. (2011). Reasons for outsourcing services in medium and large companies. Brazilian Business Review, 8(4), 44-66. https://doi.org/10.15728/bbr.2011.8.4.3

Fleury, P. F. (2003). Supply chain management: conceitos, oportunidades e desafios da implementação.Ilos, Rio de Janeiro: UFRJ. Recuperado em 22 de julho de 2018, de https://www.ilos.com.br/web/supply-chain-management-conceitos-oportunidades-e-desafios-da-implementacao/

Fonseca Correia, E. M. (2014). O desenvolvimento do outsourcing, seus fundamentos, riscos e benefícios. Lusíada. Economia e Empresa, (11), 161-180. Recuperado em 18 de março de 2019, de http://revistas.lis.ulusiada.pt/index.php/lee/article/view/899

Giosa, L. A. (1999). Terceirização: uma abordagem estratégica (5a ed.). São Paulo: Pioneira.

Girardi, D. M. (1999). A importância da terceirização nas organizações. Revista de Ciências da Comunicação, 1(1), 23-31. Recuperado em 22 de julho de 2018, de https://periodicos.ufsc.br/index.php/adm/article/view/7998/7383

Gujarati, D. N., & Porter, D. C. (2012). Econometria básica (5a ed.) Porto Alegre: AMGH Editora LTDA.

Hehn, H. F. (1999). Peopleware: como trabalhar o fator humano na implementação de sistemas integrados de informação (ERP) (1ª ed.). São Paulo: Gente.

Hill, R. C., Griffiths, W. E., & Judge, G. G. (2003). Econometria (2a ed.). Tradução Alfredo Alves de Farias. São Paulo: Saraiva.

Horngren, C.T., Foster, G., & Datar, K.M. (2000). Contabilidade de custos. Rio de Janeiro: LTC.

Imhoff, M. M., & Mortari, A. P. (2005). Terceirização, vantagens e desvantagens para as empresas. Revista Eletrônica de Contabilidade, 3(2), 82-94. https://doi.org/10.5902/198109466219

Kakabadse, N, & Kakabadse, A. (2000). Outsourcing: a paradigm shift. Journal of Management Development, 19(8), 670-728. https://doi.org/10.1108/02621710010377508

Konishi, S. (2014). Introduction to Multivariate Analysis: Linear and Nonlinear Modeling (1a ed.). Tokyo, Japan: CRC Press. https://doi.org/10.1201/b17077

Kremic, T., Tukel, O. I., & Rom, W. O. (2006). Outsourcing decision support: a survey of benefits, risks, and decision factors. Supply Chain Management, 11(6), 467-482. https://doi.org/10.1108/13598540610703864

Kumar, S., & Kopitzke, K. K. (2008). A practitioner’s decision model for the total cost of outsourcing and application to China, Mexico, and the United States. Journal of Business Logistics, 29(2), 107-139. https://doi.org/10.1002/j.2158-1592.2008.tb00089.x

Leiblein, M. J., & Miller, D. J. (2003). An empirical examination of transaction and firmlevel influences on the vertical boundaries of the firm. Strategic Management Journal, 24(9), 839-859. https://doi.org/10.1002/smj.340

Levene, H. (1960). Robust tests for the equality of variance. In: OLKIN, 1a ed. Contributions to probability and statistics. Palo Alto: Stanford University Press, p.278-292. https://doi.org/10.2307/2285659

Liu, Y., & Tyagi, R. K. (2017). Outsourcing to convert fixed cost into variable costs: a Competitive Analysis. International Journal of Research in Marketing, 34(1), 252-264. https://doi.org/10.1016/j.ijresmar.2016.08.002

Marcelino, P. (2007). Afinal, o que é terceirização? Busca de ferramentas de análise de ação política. Pegada, 8(2), 55-70. https://doi.org/10.33026/peg.v8i2.1640

Marquez-Ramos, L., & Martinez-Zarzoso, I. (2014). Trade in intermediate goods and Euro-Med production networks. Middle East Development Journal, 6(2), 215-231. https://doi.org/10.1080/17938120.2014.961327

Martins, E. (2003). Contabilidade de custos (9a ed.). São Paulo: Atlas.

Martins, G. A. (2008). Estudo de caso: uma reflexão sobre a aplicabilidade em pesquisas no Brasil. Revista de Contabilidade e Organizações, 2(2), 8 18. https://doi.org/10.11606/rco.v2i2.34702

Mas-Colell, A., Whinston, M, D., & Green, J. R. (1995), Microeconomic theory (Vol, 1), New York: Oxford university press.

Mittelhammer, R. C., Judge, G. G., & Miller, D. J. (2000). Econometric foundations (1a ed.) Cambridge: Cambridge University Press.

Montgomery, D. C. (2005). Design and analysis of experiments (6a ed.) Arizona: John Wiley & Sons.

Mozzini, S. H. R. (2011). Fatores de decisão de terceirização em tecnologia da informação. Dissertação de Mestrado em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil. Recuperado em 22 de julho de 2018, de https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/37185/000820269.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Oliveira, G. C. D. N., Silva, D. D., Costabile, L. T., & Barros, E. (2013). Insucesso na terceirização da armazenagem e transporte de carga frágil para operador logístico: um estudo de caso. GEPROS. Gestão da Produção, Operações e Sistemas, 8(2), abr-jun., 95-114. https://doi.org/10.15675/gepros.v8i2.620

Pepper, B. (1996). Trends in outsourcing. Information Security Technical Report, 1(3), 8-10. https://doi.org/10.1016/S1363-4127(97)83013-0

Pereira, L. D. A. (2004). Gestão da força de trabalho em saúde na década de 90. Physis: Revista Saúde Coletiva, 14(2), 363-382. https://doi.org/10.1590/S0103-73312004000200010.

Pindyck, Robert S. & Rubnfield Daniel L. (2015). Microeconomia (8a ed.). São Paulo: Pearson.

Porter, M. (2004). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústria e concorrência (9a ed.). Rio de Janeiro: Campus.

Prado, E. P. V. (2009). Terceirização de serviço de TIC: uma avaliação sob o ponto de vista do fornecedor. REAd: Revista Eletrônica de Administração, 15(3), 1-26. Recuperado em 20 de julho de 2018, de https://seer.ufrgs.br/read/article/view/39024/25104

Prado, E. P. V., & Takaoka, H. (2002). Os fatores que motivam a adoção da terceirização da tecnologia de informação: uma análise do setor industrial de São Paulo. Revista de Administração Contemporânea, 6(3), 129-147. https://doi.org/10.1590/S1415-65552002000300008

Prado, E. P. V., & Takaoka, H. (2006). A terceirização da tecnologia de informação e o perfil das organizações. Revista de Administração, 41(3), 245-256. https://www.redalyc.org/pdf/2234/223417413003.pdf

Rezende, A. C. (2008) Terceirização das atividades logísticas (1ª ed.). São Paulo: Instituto IMAM.

Ross, W. T., Dalsace, F., & Anderson, E. (2005). Should you set up your own sales force or should you outsource it? Pitfalls in the standard analysis. Business Horizons, Harvard, 48(1), 23-36. https://doi.org/10.1016/j.bushor.2004.10.005

Santos, B. A. D., Diehl, C. A., & Andrioli, R. F. (2013). Impacto da externalização de serviços secundários em uma instituição de ensino superior. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 11(1), 7-24. https://doi.org/10.19094/contextus.v11i1.32154

Slack, N., Brandon-Jones, A., & Johnston, R. (2018). Administração da produção(8a ed.). São Paulo: Atlas.

Severo Filho, João. (2006). Administração de logística integrada: materiais, PCP e marketing (2.ed.). Rio de Janeiro. E-papers.

Stal, E., & Morganti, F. (2011). Multinacionais brasileiras em tecnologia de informação: produção de software e terceirização de serviços. RAI Revista de Administração e Inovação, 8(4), 182-205. https://doi.org/10.5773/rai.v8i4.893

Souza, M. A., & Diehl, C. A. (2009). Gestão de custos: uma abordagem integrada entre contabilidade, engenharia e administração (1a. ed.). São Paulo: Atlas.

Stock, J. H,, & Watson, M. W. (2004), Econometria (1a, ed,), São Paulo: Pearson.

Tenreiro, C. (2013). Combinando testes de Mardia e BHEP na avaliação duma hipótese multivariada de normalidade. Revista Estudo Geral, Coimbra, 15-21. Recuperado em 20 de julho de 2018, de http://hdl.handle.net/10316/43976

Valença, M. C. de A., & Barbosa, A. C. Q. (2002). A terceirização e seus impactos: um estudo em grandes organizações de Minas Gerais. Revista de Administração Contemporânea, 6(1), 163-185. https://doi.org/10.1590/S1415-65552002000100010

Valois, Ú., & Almeida, A. T. (2009). Support model for multicriteria decision to outsource productive activities based on SMARTS method. Produção, 19(2), 249-260. https://doi.org/10.1590/S0103-65132009000200003

Varian, H. R. (2015). Microeconomia: uma abordagem moderna (9a ed.), Rio de Janeiro: Campus.

Vendruscolo, M. I., & Alves, T. W. (2009). Estudo da economia de escala do setor de telecomunicações móveis do Brasil pós-privatizações. Revista Contabilidade & Finanças, 20(49), 63-78. https://doi.org/10.1590/S1519-70772009000100005

Vining, A., & Globerman, S. (1999). A conceptual framework for understanding the outsourcing decision. European Management Journal, 17(6), 645-754. https://doi.org/10.1016/S0263-2373(99)00055-9

Wolff, G. (2001). Integração vertical e terceirização: uma abordagem crítica focada nas questões estratégicas para a competitividade da manufatura. Dissertação de Mestrado em Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil. Recuperado em 20 de julho de 2018, de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/79832/182587.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Yang, Q., & Zhao, X. (2016). Are logistics outsourcing partners more integrated in a more volatile environment? International Journal of Production Economics, 171, 211-220. https://doi.org/10.1016/j.ijpe.2015.09.036

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso: Planejamento e métodos, Porto Alegre: Bookman.

Publicado

2021-12-15

Edição

Seção

Artigos