Da impossibilidade de mercados artificiais: o caso da medição da produtividade acadêmica

Fábio Barbieri

Resumo


Este artigo critica os mecanismos de incentivos desenvolvidos para aumentar a produtividade acadêmica. Utilizando considerações metodológicas sobre a natureza dos mercados, desenvolvemos um argumento para explicar porque esses mecanismos falham em estimular a competição entre pesquisadores e criar um melhor “mercado de idéias”, mas tendem a gerar burocracia e distorções nesse mercado, minando adicionalmente a liberdade acadêmica.


Palavras-chave


Economia do conhecimento; Mercado de ideias; Mecanismos de avaliação acadêmica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8085.2009v12n2p60

Creative Commons License
Revista Textos de Economia. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN: 2175-8085 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
> > > > >