Diferenciais de salário entre trabalhadores qualificados e não-qualificados nas Regiões Metropolitanas de Campinas e de São Paulo

Bruna A. Branchi, Nelly Maria Sansigolo de Figueiredo, Leonardo Segura Moraes, Andrews Lima Silva Santos

Resumo


Este trabalho se insere na linha de estudos empíricos que visam avaliar os
efeitos que a abertura econômica teve no mercado de trabalho brasileiro,
a partir do referencial teórico fornecido pelo modelo de Hecksher-Ohlin-
Stolper-Samuelson. Especificamente, objetiva identificar a relação entre
o grau de abertura comercial e o diferencial de remuneração entre os
trabalhadores classificados segundo o grau de qualificação e ocupados em
setores selecionados da indústria de transformação das regiões metropolitanas de São Paulo (RMSP) e Campinas (RMC) em 1991 e 2000. Os resultados mostram que o primeiro impacto da abertura econômica (começo dos anos 90) foi de redução generalizada das remunerações com viés de redução dos diferenciais de remuneração. No final da década, a situação se inverteu e as dinâmicas regionais diferiram com um viés de aumento na desigualdade na RMSP e de redução na RMC.

Palavras-chave


Diferencial de salário; Desigualdade; Abertura comercial

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8085.2010v13n1p75

Creative Commons License
Revista Textos de Economia. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN: 2175-8085 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
> > > > >