Determinantes da entrada de turistas estrangeiros nos estados brasileiros no período 2004 a 2008: uma aborgagem com o modelo gravitacional do turismo

Magnus dos Reis, Jacqueline Lopes Nunes, Camila Flores Orth, Marcos Tadeu Caputi Lélis

Resumo


O turismo é uma atividade econômica importante para os países, pois uma expansão deste setor permite aumentar o PIB, alavancar investimentos, gerar emprego e atrair divisas. Nos últimos anos, este setor tem ganhado importância na economia brasileira, uma vez que há um aumento significativo da entrada de turistas estrangeiros no país. Para os próximos anos, devido à realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, a entrada de turistas estrangeiros no país aumentará consideravelmente. Nesse sentido, torna-se fundamental que o setor público e privado compreendam os determinantes dos fluxos turísticos ao país, visando estabelecer estratégias para atrair visitantes. Para isso, foi proposta uma forma alternativa de estimação do modelo gravitacional, através de um modelo hierárquico em dois níveis, tendo como 1º nível a equação gravitacional com dados em painel e dois efeitos fixos e, no 2º nível, uma regressão em cross-section. O resultado mais surpreendente desta análise foi que o estado de São Paulo apresentou um dos menores índices de atratividades de lazer dos estados analisados. Entretanto, São Paulo é o estado que mais recebeu turistas estrangeiros do país. A aparente contradição é explicada pelo fato de que São Paulo possui o maior PIB do país, ou seja, apresenta a maior atratividade de negócios. Portanto, esse resultado sugere que os turistas estrangeiros que vão a São Paulo estão em busca de negócios e não de lazer.


Palavras-chave


Fluxos turísticos; Modelo Gravitacional; Dados em painel

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8085.2011v14n2p38

Creative Commons License
Revista Textos de Economia. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN: 2175-8085 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
> > > > >