Contribuição aos estudos sobre desenvolvimento socioeconômico em Santa Catarina: comportamento do IDS entre 1991 e 2000

Luiz Augusto Finger França Maluf, Lauro Francisco Mattei, Hoyêdo Nunes Lins

Resumo


O presente artigo apresenta o cálculo e análise do comportamento do Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (IDS) para o Estado de Santa Catarina em nível nacional entre os anos de 1991 e 2000. Dessa maneira, o IDS calculado no nível estadual passa a contribuir para o debate sobre os reflexos das mudanças registradas na estrutura produtiva catarinense durante os anos de 1990, ao mesmo tempo em que aponta os pontos fortes e fracos das condições socioeconômicas estaduais. Calculado com base em indicadores econômicos (produto e distribuição de renda) e sociais (saúde, educação, trabalho e moradia), a análise do IDS apontou significativas melhoras nos aspectos econômicos e em diversos fatores sociais, ressaltando os aspectos positivos da reestruturação produtiva iniciada ao longo da última década. Contudo, apesar do nível de desemprego no mercado formal ter se reduzido sensivelmente em relação a 1991, percebe-se que em 2000 houve a manutenção de um significativo grau de informalidade do mercado de trabalho. Percebeu-se também a persistência de condições bastante precárias em termos de saneamento básico, sobretudo em termos do acesso da população a redes gerais de esgoto. Como uma conseqüência dos impactos negativos que esses fatores têm exercido sobre o IDS catarinense ao longo de todo o período estudado, desvelam-se prioridades latentes em termos de planejamento e implementação de políticas públicas estaduais para os próximos anos.

Palavras-chave


Estrutura de Produção; IDS; Santa Catarina

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
Revista Textos de Economia. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN: 2175-8085 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
> > > > >