Crenças, desejos e a luta de classes

Duilio Avila Berni

Resumo


As limitações impostas à compreensão dos processos de escolha carregadas pela excessiva confiança na teoria da escolha racional ou – paradoxalmente – em sua crítica furibunda são avaliadas e questionadas, sob um ponto de vista pragmático. O modelo tradicional sustenta que são as crenças do indivíduo que determinam seus desejos. Relacionando crenças e convenções, o ensaio explora a condição expressa pelo estado oposto, ou seja, o contexto em que são os desejos que determinam as crenças. A escolha individual agregada por meio do mercado, a escolha coletiva resultante da criação e evolução de regras e convenções e, por fim, a criação de instituições também são avaliadas. Com esta moldura conceitual, buscamos enquadrar as relações entre os pólos da geração, apropriação e absorção de bens e serviços, tentando entender um elo importante da cadeia de relações sociais, nomeadamente, a agregação de preferências por meio do mercado político.

Palavras-chave


Metodologia econômica; Escolha racional; Teoria dos

Texto completo:

PDF/A


Creative Commons License
Revista Textos de Economia. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN: 2175-8085 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
> > > > >