Estruturalismo de Celso Furtado e o neoestruturalismo de Fernando Fajnzylber: preocupações desenvolvimentistas convergentes

Autores

  • Silvio Antonio Ferraz Cário
  • Lucas Corrêa UFSC
  • Maria Luísa Lacerda Albertão

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8085.2020.e78133

Palavras-chave:

Desenvolvimento econômico, Pensamento de Celso Furtado e Fernando Fajnzylber, Progresso técnico, Projeto de desenvolvimento.

Resumo

O estudo sobre desenvolvimento econômico foi central nas obras de Celso Furtado e Fernando Fajnzylber. Ambos tiveram passagem profissional pela CEPAL, cujo método histórico-estruturalista influenciou fortemente seus escritos ao longo do tempo. A preocupação em explicar as razões do atraso econômico da América Latina, levou a convergência de ideias em vários temas. Nesse sentido, o objetivo desse artigo é apresentar pontos comuns nos tratamentos sobre o progresso técnico, capital multinacional, desenvolvimento comparado, Estado e projeto nacional de desenvolvimento. Para tanto, recorreu-se às principais obras dos autores que tratam essas categorias de análise. No geral, os resultados apontam problemas econômicos estruturais e decisões políticas de desenvolvimento limitadas impossibilitaram a construção de um desenvolvimento capitalista mais autônomo. E, em linha com os autores, somente um projeto nacional de desenvolvimento de médio e longo prazos e voltado ao interesse da sociedade, pode sinalizar novos caminhos desenvolvimentistas.

Referências

CARDOSO, F. H. Empresariado industrial e desenvolvimento econômico no Brasil. São Paulo: Civilização Brasileira, 1964.

CARDOSO, F. H.; FALETTO, E. Dependência e desenvolvimento na América Latina: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

FAJNZYLBER, F. Oligopólio, empresas transnacionales y estilos de desarollo. El Trimestre Económico, v. 43(3), n. 171, jul-set, 1976, p. 625-656.

FAJNZYLBER, F. A empresa internacional no processo de industrialização da América Latina. In: SERRA, J. (org.) América Latina: ensaios de interpretação econômica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 172-207.

FAJNZYLBER, F. Industrialización trunca de América Latina. Cidade do México. Nueva Imagem, 1983.

FAJNZYLBER, F. Industrialización em América Latina: de ela cajá negra al casillero vacio. Santiago: Cuadernos de la CEPAL, 1990.

FAJNZYLBER, F. Progreso técnico y competitividade em América Latina. Industrialización y Desarollo Tecnológico, n. 12, abr, 1992, p. 27-42.

FAJNZYLBER, F.; SCHEJTMAN, A. Agricultura, indústria y transformación productiva. In: REYNA, J. L. América Latina a fine de siglo. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica, 1995, 148-197.

FAJNZYLBER, F. Transformacion productiva con equidade. In: OLIVOS, M. T. (org.) Fernando Fajnzylber: uma visión renovadora del desarrollo em América Latina. Santiago: CEPAL, 2006a, p. 337-402.

FAJNZYLBER, F. Desarrollo productivo y empresas transnacionales em América Latina. In: OLIVOS, M. T. (org.) Fernando Fajnzylber: uma visión renovadora del desarrollo em América Latina. Santiago: CEPAL, 2006b, p. 105-142.

FAJNZYLBER, F; TARRAGÓ, T. Las empresas transnacionales: expansión a nível mundial y proyección em la indústria mexicana. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica, 1976.

FURTADO, C. A economia brasileira: contribuição à análise do seu desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ed. A Noite, 1954.

FURTADO, C. Subdesenvolvimento e subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

FURTADO, C. Dialética do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1964.

FURTADO, C. Subdesenvolvimento e estagnação na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

FURTADO, C. Um projeto para o Brasil. Rio de Janeiro: Editora Saga, 1968.

FURTADO, C. Formação econômica da América Latina. Rio de Janeiro: Lia Editora, 1970.

FURTADO, C. Análise do modelo brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.

FURTADO, C. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

FURTADO, C. Criatividade e dependência na civilização industrial. Rio de Janeiro:Paz e Terra, 1978.

FURTADO, C. Teoria e política do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1983a.

FURTADO, C. El subdesarrollo latino-americano. Cidade do México: Fondo de Cultura Econômica, 1983b.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

FURTADO, C. Brasil: a construção interrompida. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992a.

FURTADO, C. O subdesenvolvimento revisitado. Economia e Sociedade, v. 1, n. 1, ago, 1992b, p. 5-19.

FURTADO, C. A superação do subdesenvolvimento. Economia e Sociedade, v. 3, n. 1, dez, 1994, p. 37-47.

GUIMARÃES, V.; PEIXOTO, F.; CASIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. Convergências e complementariedades da corrente neo-schumpeteriana com o pensamentoe estruturalista de Celso Furtado. In: SABOIA, J.; CARVALHO, F. J. C. Celso Furtado e o século XXI. Barueri: Editora Manole, 2007, p. 205-238.

IPIRANGA, A.; BITTENCOURT, P. O caráter sistêmico do desenvolvimento tecnológico: uma aproximação entre a escola neoschumpeteriana e as visões de Fernando Fajnzylber. III Encontro Nacional de Economia Industrial e Inovação - ENEI. Uberlândia - MG, 18 a 20 de setembro, 2018.

LINS, L. C. O. Desenvolvimento social: o projeto de Celso Furtado para a nação brasileira. 149 fl. Dissertação (Mestrado em Economia) – Programa de Pós-Graduação em Economia – Universidade Federal de Santa Maria, 2013.

MELLO, J. M. C. O capitalismo tardio. São Paulo: Brasiliense, 1998.

PAIVA, S. C. Estratégias de política industrial e desenvolvimento econômico: ideias de Fernando Fanjzylber para a América Latina. 308 fl. (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada. Universidade Estadual de Campinas, 2006.

SILVA, R. L. M. A primazia de Fernando Fajnzylber na elucidação de aportes exógenos ao milagre sul-coreano. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 9, n. 15, juldez, 2014, p. 63-79.

SUZIGAN, W.; PAIVA, S. C. Competitividade sistêmica: a contribuição de Fernando Fajnzylber. História Econômica & História de Empresas, v. 7, n. 2, 2004, 165-187.

TAVARES, M. C. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro: ensaios sobre economia brasileira. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

TAVARES, M. C.; SERRA, J. Além da estagnação: uma discussão sobre o estilo de desenvolvimento recente no Brasil. In: BIELCHOWSKY, R. (org.) Cinquenta anos de pensamento na CEPAL. Rio de Janeiro: Record/CEPAL, 2000, p. 589-608.

TEIXEIRA, A. O movimento da industrialização nas economias capitalistas centrais no pós-guerra. 248 fl. Dissertação (Mestrado em Economia) – Programa de PósGraduação em Economia – Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1983.

Downloads

Publicado

2020-12-14 — Atualizado em 2020-12-16

Versões

Edição

Seção

Dossiê