O relógio ou nós? Uma visão da invenção do tempo social na percepção político-cultural de Edward P. Thompson

Autores

  • Artur Mazzucco Fabro Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-3532.2017n17p55

Palavras-chave:

E.P. Thompson, Capitalismo, Tempo social, Revolução Industrial, História vista-de-baixo

Resumo

As obras de E.P Thomspon permeiam uma diversidade de assuntos que se encaixam muito bem nas chamadas ciências sociais, entretanto, por ser um historiador, seu pensamento adquire um cunho muito proveitoso para a disciplina da História: a dita história vista de baixo. Foi a partir dessa escolha de análise, que poderia ser creditada vista a influência de Marx e do marxismo em sua vida, que o historiador inglês consegue construir uma narrativa muito rica da maneira com que os trabalhadores ingleses estavam se relacionando com o restante da sociedade onde viviam; como compartilhavam seus costumes em comum e quais eram suas peculiaridades comparadas ao restante da Europa. No meio de tantos acontecimentos em decorrência do avanço do capitalismo, o “surgimento” do tempo enquanto necessário para regular as relações de trabalho se mostrou como um terreno fértil para que se desvendem algumas características desse sistema econômico que mudou completamente a humanidade.

Biografia do Autor

Artur Mazzucco Fabro, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)


Mestre em Sociologia Política pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da Universidade Federal de Santa Catarina. Pesquisador do Núcelo de Estudos do Pensamento Político (NEPP/UFSC).

Downloads

Publicado

2018-10-11

Edição

Seção

Dossiê