O cicloativismo no Brasil e a produção da lei de política nacional de mobilidade urbana

Giselle Noceti Ammon Xavier

Resumo


A aplicação do Estatuto da Cidade (Plano Diretor participativo, Plano Diretor de Mobilidade das Cidades) e,
mais recentemente, o anteprojeto de lei da Política Nacional de Mobilidade Urbana (propondo a integração das
políticas de transporte com as de desenvolvimento urbano, a melhoria do transporte coletivo, a racionalização do
uso dos motorizados individuais, e a valorização dos meios de transporte não-motorizados), demonstram que o
Brasil está em sintonia com as tendências mundiais de incentivo à mobilidade urbana sustentável. No entanto, há
uma grande lacuna entre o que acontece nas cidades e a proposta do anteprojeto da Política Nacional de
Mobilidade Urbana. Este ensaio procura fazer uma reflexão sobre o cicloativismo e a produção da lei da Política
Nacional de Mobilidade Urbana, remetendo ao estado da arte do debate sobre a política de mobilidade por
bicicleta no Brasil.


Palavras-chave


Bicicleta; Cicloativismo; Bicycle-Advocacy; Políticas; Mobilidade

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2007 Giselle Noceti Ammon Xavier

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Em Tese, revista do PPGSP da UFSC, Brasil, ISSNe 1806-5023

Licença Creative Commons
Revista licenciado pela Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.