Ideias econômicas e economistas no Brasil: notas para o entendimento de um regime de conhecimento anti-austeridade.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2018v15n1p103

Palavras-chave:

Pensamento econômico brasileiro, regimes de conhecimento, austeridade

Resumo

A discussão sobre o desenvolvimento econômico no Brasil está associada à criação e institucionalização da economia como disciplina acadêmica e profissão. Ao longo do século XX, economistas se converteram em especialistas do desenvolvimento e atores políticos onipresentes. Esse artigo busca recuperar uma agenda de pesquisa gerada nos anos 1990 que explora o papel político dos economistas e discute a centralidade das instituições econômicas como estabilizadoras da democracia em países latino-americanos. Além disso, defende-se que a difusão de um “pensamento econômico brasileiro” e suas especificidades estão vinculadas ao modo específico como se organizou o capitalismo no Brasil.

Biografia do Autor

Andrea Oliveira Ribeiro, Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

Doutoranda em Ciência Políticia

Programa de Pós-graduação em Ciência Política do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

Downloads

Publicado

2018-06-12

Edição

Seção

Dossiê