“Tem o político e tem nós”: as concepções políticas de mulheres negras ativistas populares do Morro da Polícia/ Porto Alegre

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2020v17n2p160

Palavras-chave:

Mulheres Negras, Ativismo Comunitário, Antropologia da Política, Morro da Polícia

Resumo

Este artigo apresenta as concepções sobre a política a partir das percepções de uma ativista comunitária integrante de uma associação de mulheres negras localizada na periferia de Porto Alegre. Com o objetivo de analisar estas concepções desde a perspectiva desenvolvida pela antropologia da política, apresentou-se um recorte a partir de entrevistas e conversas com Rosa, a presidenta da associação, que ocorreram durante a realização de um trabalho de campo nos meses de julho a setembro de 2017. Ao acompanhar suas narrativas, evidenciou-se as diferentes atribuições relacionadas ao tema que, consequentemente, relacionam-se com suas ações no interior da associação e com os demais agentes do universo do ativismo comunitário. 


Biografia do Autor

Thais da Rosa Alves, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutoranda em Ciências Sociais no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais - Unisinos.

Referências

ALVES, Thais da Rosa. Entre a faculdade da vila e o direito: as práticas de justiça das Promotoras Legais Populares no SIM-Tudo Fácil. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) em Ciências Sociais. São Leopoldo: Escola de Humanidades, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), 2015.

ALVES, Thais da Rosa. Entre a política e o movimento: as concepções e as práticas políticas de mulheres negras no Morro da Polícia/ Porto Alegre. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais) em Ciências Sociais. São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), 2018.

AUYERO, Javier. Vidas e políticas das pessoas pobres – as coisas que um etnográfo político sabe (e não sabe) após 15 anos de trabalho de campo. Revista Sociologias, Porto Alegre, n. 28, p. 126-164, set. – dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/v13n28/06.pdf. Acesso em: 5 ago. 2020.

BERNARDINO-COSTA, Joaze. Decolonialidade e interseccionalidade emancipadora: a organização política das trabalhadoras domésticas no Brasil. Revista Sociedade e Estado, Brasília – DF, v. 30, n. 1, p. 147-163, jan. – abr. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/se/v30n1/0102-6992-se-30-01-00147.pdf. Acesso em: 2 ago. 2020.

BOBADILLA, Kassia B. Nas tramas da política: uma etnografia da ação coletiva na Favela de Vila Prudente. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais) em Ciências Sociais. Guarulhos: Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), 2016.

COMERFORD, John. Fazendo a luta. Sociabilidades, falas e rituais na construção de organizações camponesas. Rio de Janeiro: Relume Damará: NUAP, 1999.

COMERFORD, John; BEZERRA, Marcos O. Etnografias da política: uma apresentação da Coleção Antropologia da Política. Análise Social, Lisboa, v. 48, n. 207, p. 466-489, 2013. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/aso/n207/n207a09.pdf. Acesso em: 7 ago. 2020.

FLEISCHER, Soraya. Parteiras, buchudas e aperreios. Uma etnografia do cuidado obstétrico não oficial na cidade de Melgaço, Pará. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2011.

FONSECA, Claudia. Família, fofoca e honra. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000.

GOLDMAN, Marcio. Como funciona a democracia: uma teoria etnográfica da política. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

GOLDMAN, Marcio; SANT’ANA, Ronaldo dos Santos. Teorias, representações e práticas. In: GOLDMAN, Marcio. Alguma antropologia. Rio de Janeiro: Relume Damará: NUAP, 1999, p. 123-142.

HOULE, Gilles. A sociologia como ciência e vida: a abordagem biográfica. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa. Enfoques epistemológicos e metodológicos. Petropólis: Vozes, 2008, p. 317-334.

JOBIM, Douglas J. dos Santos; KLAUCK, Evaldo Rosa. Movimento popular da grande Glória. Porto Alegre: SMC, 2000.

MIGUEL, Luis Felipe. A identidade e a diferença. In: MIGUEL, Luis Felipe; BIROLI, Flávia. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014, p. 75-88.

MINTZ, Sidney W. Encontrando Taso, me descobrindo. Dados: Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 27, n. 1, p. 45-58, 1984.

NUAP – Núcleo de Antropologia da Política. Uma antropologia da política: rituais, representações e violência. Cadernos NUAP 1, Rio de Janeiro: NAU, 1998. Disponível em: http://www.marizapeirano.com.br/artigos/1998_uma_antropologia_da_politica.pdf. Acesso em: 31 jul. 2020.

PALMEIRA, Moacir; BARREIRA, César. Introdução. In: PALMEIRA, Moacir; BARREIRA, César (Org.). Política no Brasil: visões de antropólogos. Rio de Janeiro: Relume Damará: NUAP, 2004, p. 9-22.

PALMEIRA, Moacir; HEREDIA, Beatriz M. Alasia. Política ambígua. Rio de Janeiro: Relume Damará: NUAP, 2010.

SAAVEDRA, Lina P. R. A construção da cidadania e defesa dos direitos da população em situação de vulnerabilidade social: a mediação social de uma ONG local numa zona da periferia de Porto Alegre. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Administração) em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2013.

Downloads

Publicado

2020-09-23