Facetas do Guru do Presidente

Representações audiovisuais de Olavo de Carvalho no YouTube e em O Jardim das Aflições

Autores

  • Daniel Leão Doutor pelo PPGAV/Udesc
  • Paulo da Costa Pereira Neto Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGSA/UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806-5023.2021.e78973%20

Palavras-chave:

Olavo de Carvalho, Nova Direita, Jardim das Aflições, YouTube

Resumo

Neste artigo, analisamos a aparente incompatibilidade entre a figura "calma" e "benevolente" de Olavo de Carvalho, tal como apresentada no documentário O Jardim das Aflições, e a imagem "agressiva" do escritor que se propagou nos últimos anos. Tentaremos demonstrar que, ao contrário do que afirmam os críticos de Olavo e do filme, do ponto de vista de seus seguidores, não há incompatibilidade entre os "dois personagens", mas uma complexa continuidade. Para tanto, somamos à análise do documentário uma análise de vídeos de seu canal de YouTube que nos revelou o personagem multifacetado, porém relativamente coerente, de um "pai" e "profeta".

Biografia do Autor

Daniel Leão, Doutor pelo PPGAV/Udesc

Possui graduação em Comunicação Social - Cinema pela Universidade Federal Fluminense (2009), mestrado em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (2013) e doutorado em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina com período sanduíche na New York University (2020). Entre 2016 e 2018, atuou como professor do curso de Cinema do Departamento de Artes da Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente, co-dirige o documentário"Panorama" em parceira com a artista Djuly Gava.

Paulo da Costa Pereira Neto, Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGSA/UFRJ)

Doutorando pelo Programa de pós-graduação em Sociologia e Antropologia oferecido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, seu projeto se concentra na área do Pensamento Social Brasileiro, com enfoque específico no Pensamento Conservador Contemporâneo. Concluiu seu Mestrado no Programa de Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina, em 2015, com uma dissertação onde investigava os conflitos entre forasteiros e nativos numa pequena cidade boliviana. É licenciado e bacharel em Ciências Sociais pela UFSC e lecionou, durante dois anos, a disciplina de Sociologia no Ensino Médio e no Centro de Ensino de Jovens e Adultos. Tem também experiência como Designer Educacional em cursos de Ensino à Distância.

Referências

ARAÚJO, Inácio. Filme sobre Olavo de Carvalho não traduz bem ideias do filósofo. Folha de São Paulo. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2017/06/1890183-filme-sobre-olavo-de-carvalho-nao-traduz-bem-ideias-do-filosofo.shtml

AUMONT, Jacques. A imagem. Tradução de Estela dos Santos Abreu e Cláudio Cesar Santoro Campinas, SP: Papirus, 2006.

BALTAR, Mariana. Realidade lacrimosa: diálogos entre o universo do documentário e a imaginação melodramática. Tese de doutorado em Comunicação. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2007.

BERNADET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

BIANCHI, Álvaro e BRAGA, Ruy. Apresentação: Antonio Gramsci em Tempos de Fake News. In Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 31, n. 2. mai - ago 2019.

BOURDIEU, Pierre, Capital Social: Notas provisórias In NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afranio M. (org.) Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1999.

CALDEIRA NETO, Odilon e GONÇALVES, Leandro Pereira. O Fascismo em camisas verdes. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2020.

BRASIL, Felipe Moura. O Mínimo bate a marca de 100 mil exemplares vendidos e Olavo de Carvalho é exaltado nas ruas de todo o país. Revista Veja. Disponível em: https://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/8220-o-minimo-8221-bate-a-marca-de-100-mil-exemplares-vendidos-e-olavo-de-carvalho-e-exaltado-nas-ruas-de-todo-o-pais/

Acesso em: 12 de dezembro de 2019

BUGALHO, Henry e CARVALHO, Heloísa. Meu pai: o guru do presidente. Curitiba: Kotter editorial, 2020.

BURGIERMAN, Denis. O que aprendi com Olavo. Época, mar. de 2019.

CARROLL, Noel. Ficção, não-ficção e o cinema da asserção pressuposta: uma análise conceitual. In: RAMOS, Fernão Pessoa (org.). Teoria contemporânea do cinema volume II – Documentário e narratividade ficcional. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2005.

CARVALHO, Olavo de. A nova era e a revolução cultural: Fritjof Capra & Antonio Gramsci. Rio de Janeiro: Instituto de Artes Liberais & Stella Caymmi. 1994.

CARVALHO, Olavo de. O futuro do pensamento brasileiro. Estudos sobre o nosso lugar no mundo. 1998.

CARVALHO, Olavo de. O Imbecil Coletivo. Rio de Janeiro: Faculdade da Cidade Editora 1999.

CARVALHO, Olavo de; DUGIN, Alexander. Os EUA e a nova ordem mundial. São Paulo: Vide Editorial, 2012.

CHION, Michel. La voix au cinéma. Editions de l’Etoile / Cahiers du cinéma: Paris, 1982 (Réédition 1993).

CHION, Michel. L’audio-vision. Son et image au cinéma. 2e. edition. Paris: Nathan, 1990.

CHION, Michel. La toile trouée. Paris: Editions de l’Etoile, 1988.

CHION, Michel. La musique au cinéma. Librairie Arthème Fayard, 1995.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder: a inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Tradução Augustin de Tugny, Oswaldo Teixeira e Ruben Caixeta. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

ESCOREL, Eduardo. O Jardim das Aflições – morada e pensamento do filósofo. Revista Piauí. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/o-jardim-das-aflicoes-morada-e-pensamento-do-filosofo/. Acesso em 11 de nov. 2020.

ESPINOSA, Julio García. Por un cine imperfecto. Caracas: Rocinante, 1970.

FAUSTO, Ruy. Única coisa rigorosa no discurso de Olavo de Carvalho são os Palavrões. Folha de São Paulo, 30, nov. 2018. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2018/11/unica-coisa-rigorosa-no-discurso-de-olavo-sao-os-palavroes-diz-ruy-fausto.shtml. Acesso em11 de nov. 2020.

FERNANDES, Talita; URIBE, Gustavo. Ala militar do governo adota tática para se contrapor ao barulho de olavistas. Folha de São Paulo, São Paulo. 12 mai. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/05/ala-militar-do-governo-adota-tatica-para-se-contrapor-ao-barulho-de-olavistas.shtml Acesso em: 24 jul. 2019.

GAUTHIER, Guy. Le documentaire un autre cinéma. Paris: Éditions Nathan, 1995.

GOODMAN, Nelson. Linguagens da arte: uma abordagem a uma teoria dos símbolos. Tradução de Vítor Moura. Lisboa: Gradiva, 2006.

GINZBURG, Carlo Ginzburg. Medo, reverência, terror: quatro ensaios de iconografia política. Tradução de Federico Carotti, Joana Angélica d’Avila Melo, Júlio Castañon Guimarães. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

JARDIM, Lauro. Quanto venderam os livros de Olavo de Carvalho. Jornal O Globo. Disponível em https://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/quanto-venderam-os-livros-de-olavo-de-carvalho.html.Acesso em: 12 de dezembro de 2020.

LYNCH, Christian Edward Cyril. A Utopia Reacionária do Governo Bolsonaro 2018 - 2020 In Insight Inteligência. Rio de Janeiro ANO XXII, No 89, Abr/Mai/Jun 2020.

MCKEE, Robert. Story. Tradução Chico Marés. Curitiba: Arte & Letra, 2016.

MONNERAT, Alessandra e SARTORI, Cario. Vendas de livros de Olavo de Carvalho triplicam desde eleição. Jornal O Estado de S. Paulo. Disponível em https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,vendas-de-livros-de-olavo-de-carvalho-triplicam-desde-eleicao,70002686383. Acessado em 9 de março de 2020.

NICHOLS, Bill. Representing reality: issues and concepts in documentary. Blommington & Indianapolis: Indiana University Press, 1991.

PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia: A construção da personagem. São Paulo: Perspectiva, 2015.

RAMOS, Fernão Pessoa. A cicatriz da tomada: documentário, ética e imagem-intensa. In: RAMOS, Fernão Pessoa (org.). Teoria contemporânea do cinema volume II – Documentário e narratividade ficcional. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2005.

ROCHA, Camila. Menos Marx, Mais Mises: Uma gênese da Nova Direita brasileira. Tese (Doutorado) em Ciências Políticas. São Paulo, Universidade de São Paulo, 2019.

ROCHA, João Cézar de Castro. Um sistema de crenças que chegou ao poder. Rascunho, Edição 244 , 2020. Disponível em https://rascunho.com.br/colunistas/um-sistema-de-crencas-que-chegou-ao-poder

SANTOS JÚNIOR, Marcelo Alves. Vai pra Cuba!!! A Rede antipetista nas eleições de 2014. Dissertação (Mestrado) em Comunicação. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2016.

SKINNER, Quentin. Meaning and Understanding in the History of Ideas In Tully, James (org.). Meaning and Context. New Jersey: Princenton University Press. 1988.

WEBER, Max. Economia e Sociedade. São Paulo: Imprensa Oficial e Editora da UNB, 2003, p. 303

Publicado

2021-09-29