As novas direitas no Brasil e as estratégias de comunicação política nas mídias sociais

Autores

  • Rodolfo Marques
  • Breno Rodrigo de Messias Leite Professor do curso de Relações Internacionais da Faculdade La Salle (AM)
  • André Silva de Oliveira Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1806.5023.2021.e78974

Palavras-chave:

nova direita, discursos, comunicação política

Resumo

Este trabalho tem como principal objetivo a discussão da formação de uma nova direita no Brasil, usando o marco cronológico das manifestações contra Dilma Rousseff (PT) em 2015 e como apogeu a ascensão de Jair Bolsonaro (então, no PSL) à Presidência da República, em 2018. A ideia é tratar do eixo discursivo da formação dessa nova direita, analisando algumas estratégias de comunicação política. O problema de pesquisa está em identificar se tais abordagens são eficazes junto ao eleitorado brasileiro. Os métodos são a revisão de literatura e a análise de discurso relacionada aos eixos teórico e intelectual desses agrupamentos ideológicos, às vezes representados em partidos. As conclusões mostram crescimento dos canais de comunicação da nova direita no Brasil, reforçando a conexão com o eleitor e ampliando esse novo alinhamento político-ideológico no país.

Referências

BABIRESKI, Flávia. Pequenos partidos de direita no Brasil: uma análise dos seus posicionamentos políticos. Newsletter. Observatório de Elites Políticas e Sociais do Brasil, 3(6), 2016. pp. 1-16.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, LDA, 2016.

BERLANZA, Lucas. Guia bibliográfico da nova direita: 39 livros para compreender o fenômeno brasileiro. São Paulo: Resistência Cultural, 2017.

BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda: razões e significados de uma distinção política. São Paulo: Unesp, 1995.

BRANDÃO, Helena. Introdução à análise do discurso. 2.ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

BRUGNAGO, Fabricio; CHAIA, Vera. A nova polarização política nas eleições de 2014: radicalização ideológica da direita no mundo contemporâneo do Facebook. Aurora: Revista de Arte, Mídia e Política, 7(21), 2015. pp. 99-129.

CASSOTTA, Priscilla. Uma análise do comportamento dos deputados evangélicos no Legislativo brasileiro. E-Legis, 9 (20), 2016. pp. 75-101.

CASTRO ROCHA, João Cezar. Guerra cultural e retórica do ódio: crônicas do Brasil. Rio de Janeiro: Editora Caminhos, 2020.

CEPÊDA, Vera. A Nova Direta no Brasil: contexto e matrizes conceituais. Mediações-Revista de Ciências Sociais 23 (2), Londrina-PR: mai/ago 2018. pp. 40-74.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso político. Tradução de Dilson Ferreira da Cruz e Fabiana Komesu. São Paulo: Contexto, 2011.

CHALOUB, Jorge; PERLATTO, Fernando. A nova direita brasileira: ideias, retórica e prática política. Insight Inteligência, 72, 2016. pp. 24-41. Disponível em http://insightinteligencia.com.br/pdfs/72.pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

CODATO, Adriano; BOLOGNESI; ROEDER, Karolina Mattos. A nova direita brasileira: uma análise da dinâmica partidária e eleitoral do campo conservador. In S. V. e Cruz, A. Kaysel e G. Codas (eds.), Direita, Volver! O Retorno da Direita e o Ciclo Político Brasileiro, São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, pp. 115-143.

GALLEGO, Esther Solano. O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

GARSCHAGEN, Bruno. Pare de acreditar no governo – por que os brasileiros não confiam nos políticos e amam o Estado. São Paulo: Record, 2015.

HAYEK, Frederich. O caminho para a servidão. Tradução: Anna Maria Capovilla, José Ítalo Stelle e Liane de Morais Ribeiro. 5. ed. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1990.

HIRSCHMAN, Albert. A retórica da intransigência: perversidade, futilidade, ameaça. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

LÖWY, Michael. Ideologias e ciência social: elementos para uma análise marxista. São Paulo: Cortez, 2008.

MAINGUENEAU, Dominique. Cenas da enunciação. Organização de Sírio Possenti e Maria Cecília Pérez de Souza-e-Silva. São Paulo: Parábola, 2008.

MAINWARING, Scott; MENEGUELLO, Rachel; POWER, Timothy. Partidos Conservadores no Brasil Contemporâneo: quais são, o que defendem, quais são suas bases. São Paulo, Paz e Terra, 2000.

MISES, Ludwig Von. A mentalidade anticapitalista. 6. Ed. São Paulo: Vide Editorial, 2013.

MORGENSTERN, Flavio. Por Trás da Máscara: do Passe Livre aos Black Blocs, as Manifestações. São Paulo: Record, 2015.

ORLANDI, Eni Puccineli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 9ª. ed. Campinas: Pontes Editores, 2010.

ORTELLADO, Pablo; SOLANO, Esther. Nova direita nas ruas? Uma análise do descompasso entre manifestantes e os convocantes dos protestos antigoverno de 2015. Perseu, 7(11), 2016. pp. 169-180.

RIGITANO, Maria Eugênia Cavalcanti. Redes e ciberativismo. I Seminário Interno do grupo de Pesquisa em Cibercidades. FACOM-UFBA. Outubro de 2003. Disponível em: www.bocc.ubi.pt/pag/rigitano-eugenia-redes-e-ciberativismo.pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

SEGURADO, Rosemary; CHICARINO, Tathiana; MALINA, Pedro. A polarização política brasileira analisada através do monitoramento de rede focado nos perfis do MBL e da CUT no Twitter. In anpocs (ed.), 40.o Encontro Anual da anpocs, Caxambu - MG, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), 2016, pp. 1-22.

SILVEIRA, Sérgio Amadeu. Direita nas redes sociais online. In: CRUZ, S. V.; CODAS, G; KAYSEL, A. Direita, volver!: o retorno da direita e o ciclo político brasileiro. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2015. p. 213-230.

SCRUTON, Roger. Pensadores da nova esquerda. São Paulo: É Realizações, 2014.

SCRUTON, Roger. Como ser um conservador. Rio de Janeiro: Record, 2015.

SCRUTON, Roger. A alma do mundo. Rio de Janeiro: Record, 2017.

TAROUCO, Gabriela; MADEIRA, Rafael. Esquerda e direita no sistema partidário brasileiro: análise de conteúdo de documentos programáticos. Revista Debates, 7(2), 2013. pp. 93-114.

TATAGIBA, Luciana; TRINDADE, Thiago; TEIXEIRA, Ana Claudia. Protestos à direita no Brasil (2007-2015). In S. V. e Cruz, A. Kaysel, G. Codas (eds.), Direita, Volver!: o Retorno da Direita e o Ciclo Político Brasileiro, São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo, 2015. pp. 197-212.

TELLES, Helcimara; STORNI, Tiago. Ideologia e valores: o voto dos eleitores de direita e de esquerda. Revista Latinoamericana de Opinión Pública, 1(1), 2011. pp. 87-146.

VILLELA, Marina Cruz Vieira. Ativismo digital. Um estudo sobre blogs ativistas [tese]. Brasília: Universidade de Brasília; 2012.

VOSGERAU, Dilmeire; ROMANOVSKI, Joana. Estudos de Revisão: implicações conceituais e metodológicas. Revista Diálogo Educacional, v.14, n.41, 2014. Disponível em https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/2317. Acesso em 10 nov. 2020.

Publicado

2021-09-29