Eugenia e técnicas racionalizadoras: a seleção dos aprendizes mais aptos ao batente

Autores

  • Vera Marques Beltrão UFPR

Resumo

Conformar o corpo máquina, preparar o operário para os diferentes lugares da produção, nas primeiras décadas do século XX, constitui um desafio para médicos, engenheiros, juristas, administradores, psicólogos e educadores. Empenhando-se na árdua tarefa de tornar o brasileiro um sujeito disciplinado para o trabalho, esses intelectuais valeram-se de técnicas para selecionar aqueles cuja aptidão melhor condizia com as aspirações da indústria no país. Este trabalho busca discutir princípios que sustentavam essas propostas para a seleção de aprendizes aos cursos profissionais, nas primeiras décadas do Novecentos, buscando detectar suas matrizes norteadoras através do discurso médico-higienizador.

Downloads

Publicado

2007-10-23

Edição

Seção

Dossiê