A construção social da divisão sexual do trabalho entre as operárias do calçado (Franca-SP, décadas de 1950 a 1980)

Vinícius Donizete de Rezende

Resumo


A cidade de Franca tem na indústria calçadista sua principal atividade econômica, sendo um dos maiores produtores de calçados do país. As mulheres ocuparam posição de destaque no processo de industrialização, compondo cerca de 40% da força de trabalho no setor. Contudo, a história da classe operária do município foi escrita, sobretudo, no masculino. O principal objetivo deste artigo foi analisar o período anterior ao ingresso das trabalhadoras no trabalho fabriol, o que possibilitou observar que a divisão sexual do trabalho foi resultado de uma construção social com raízes na família e nas primeiras experiências de trabalho.

Palavras-chave


História do trabalho; história das mulheres; classe operária; divisão sexual do trabalho

Texto completo:

pdf


Direitos autorais 2019 Vinícius Donizete de Rezende

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil