Caminhos e descaminhos do modernismo brasileiro: o "confronto" entre Anita e Tarsila

Maria de Fátima Morethy Couto

Resumo


Meu texto tem por objetivo analisar um aspe reciso da historiografia de dois ícones do movimeto modernista brasileiro: o "confronto" que teria existido entre a bela tarsila e a "mulher-menina" anita Malfatti. Para alguns historiadores, o mal-estar criado pela convivência com Tarsila foi uma das razões que levaram anita a recuar de seu engajamento vanguardista e buscar uma arte "sem excessos". Destaco aqui a contribuição de dois autores: Gilda de Mello e Souza, em seu artigo "Vanguarda e Nacionalismo na década de Vinte", de 1975, e Sergio Miceli, em seu livro "Nacional Estrangeiro", publicado em 2003, tratam do tema apontando o quanto as vantagens físicas e materiais de Tarsila ajudaram-na a impor-se como a musa final do movimento modernista brasileiro.


Palavras-chave


Modernismo brasileiro; Crítica de arte; Tarsila do Amaral; Anita Malfatti

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2008v15n19p125

Direitos autorais 2019 Maria de Fátima Morethy Couto

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil