A ilustração na "América Brasileira" entre a tradição e a modernidade

Autores

  • Maria de Fátima Fontes Piazza Universidade Federal de Santa catarina
  • Clarice Caldini Lemos Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2008v15n19p163

Palavras-chave:

Ilustração, Revista literária, Tradição, Modernidade

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar a ilustração na "América Brasileira: Resenha da Actividade Naciomal"(1922 - 1924), a partir de três ilustradores, os brasileiros Di Cavalcanti e Zina Aita e o português Jorge Barradas. Na "América Brasileira a ilustração ficou premida entre a tradição e a modernidade, a maioria das capas de Zina Aita e Di Cavalcante seguem a tendência da "art nouveau" (com influências de Mucha, Beardsley, Whistler, Mackintosh, Burne-Jones), esboçando uma transição para a "art dêco". Ao contrário das ilustrações de Jorge Barradas que retratam cenas de costumes portugueses e tipos sociais calcadas no naturalismo/realismo e nas gravuras românticas oitocentistas.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Fontes Piazza, Universidade Federal de Santa catarina

Departamento de História - UFSC

Clarice Caldini Lemos, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em História - UFSC

Downloads

Publicado

2008-03-21

Edição

Seção

Dossiê