Partida da monção: modos de (re)ler o mito bandeirante

Autores

  • Emerson Dionísio Gomes de Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2008v15n19p55

Palavras-chave:

Almeida Júnior, Museu Paulista, Bandeirantismo

Resumo

O presente artigo busca analisar as principais linhas interpretativas sobre a tela Partida da Monção de Almeida Júnior, de 1897, elaboradas pelo Museu Paulista da Universidade de São Paulo. Para isso, optamos por acompanhar as linhas críticas que filiam a obra ao movimento bandeirante e seus desdobramentos do incipiente Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo aos principais divulgadores da história paulista, entre a confecção do quadro aos primeiros anos da segunda metade do século passado.

Biografia do Autor

Emerson Dionísio Gomes de Oliveira

Mestre em História da Arte (UNICAMP) Doutorando em História (UNB)

Downloads

Publicado

2008-03-21

Edição

Seção

Dossiê